segunda-feira, 22 de abril de 2019

William Gladstone - Os doze

E se salvar o mundo dependesse de si?
Se tivesse uma missão?
E se falhasse?

Aos 15 anos Max passa por um experiência de quase morte e são-lhe revelados 12 nomes, durante muito tempo Max não faz ideia do que esses nomes significam ou do que deve fazer com eles. Até que um dia as peças começam a juntar-se e Max descobre a enormidade da sua missão.
Conseguirão salvar o mundo? Ainda irão a tempo de o fazer?

Quando comecei a ler o livro estava à espera de um daqueles thrillers cheios de aventuras para evitar o fim do mundo mas não foi nada disso que encontrei.
Mais ou menos até meio do livro ficamos sem saber muito bem o que é que está a acontecer e qual é afinal a missão e o objetivo de tudo aquilo, a partir do meio descobrimos que existe sim uma "busca" para evitar o fim do mundo - mas sem adrenalina e aventuras perigosas - e queremos sempre saber o que vem a seguir e ler ler ler para saber como acaba.
No fim sorrimos e pensamos "era tão bom se fosse assim".
É um bom livro, não é super emocionante e cheio de aventuras mas vale pelo final.


"O mundo é demasiado vasto e complexo para que possas compreender tudo o que se passa nele."

"Cheguei à fronteira negra do desespero... Não sei quem sou, o que quero ou o que posso fazer, nem para onde vou... Estou farto de mim... Não há esperança... É preciso abandonar esta vida... Quero abdicar dela."

"O mundo é vasto, estranho e está cheio de mistérios. Não duvides, por mais humilde que sejas, de que tens um papel importante a desempenhar neste mistério que é a vida."

"Por vezes a intenção é tão importante como os resultados."

sexta-feira, 19 de abril de 2019

Abre o teu coração...

Abre o teu coração, procura a chave com que o trancaste há tanto tempo atrás e volta a deixar entrar o sol.
Nem todas as pessoas que passam na tua vida são iguais, nem todas as pessoas te vão magoar, nem todas as pessoas te vão despedaçar o coração e te deixar sem ar, sem alma, sem chão.
Destranca o coração porque algures por ai está aquela pessoa especial, aquela que quer realmente ficar, que quer realmente fazer parte da tua vida, que vem para somar e não para subtrair, que está disposto a dar-te tanto como tu a ela.
Destranca o teu coração e permite que as pessoas voltem a entrar, que se acomodem sem teres medo que decidam partir, que te dêem o que têm de melhor, que te ensinem as suas lições sem que tenhas medo de as aprender.

Talvez o amor ande mais perto do que tu julgas e tu não o vês porque enclausuraste o teu coração com medo de o ver partido outra vez, porque o encheste de grades e fechaste todas as portas e janelas, porque achaste que essa era a melhor maneira de não voltar a sofrer. 

Olha à tua volta e vê quantas pessoas passaram sem que tu te permitisses vê-las, quantas continuam à tua espera, quantas a vida levou de volta a ti.

Já chega de te esconderes com medo do mundo, está na hora de deixares o coração bater novamente, de lhe tirares as correntes e aprender o que a vida te quiser ensinar.
Não vai ser sempre fácil mas tu já aprendeste que aconteça o que acontecer é sempre possível sobreviver.

Então vai lá procurar a chave, abre o teu coração e permite-te ser feliz.
O mundo está cheio de pessoas maravilhosas, descobre-as!

quinta-feira, 18 de abril de 2019

Romain Sardou - Livrai-nos do mal

E se o teu dom te pudesse custar a vida?
Se aqueles que fizeram um juramento sagrado fossem na verdade os mais impuros de todos?
Se ninguém fosse o que parece e não soubesses em quem confiar?

Num lado temos crianças desaparecidas e um padre que decide procurá-las, no outro temos um investigador privado que é procurado por uma jovem cujo irmão (adulto) desapareceu e com o qual ela está preocupado.
O que tem uma coisa a ver com a outra? Aparentemente nada.
Mas a verdade é que o caminho do padre e do inspector se vão cruzar e o que não parecia relevante ganha afinal uma importância extrema. Porque andam crianças a desaparecer? O que tem afinal a igreja a ver com isso? Onde está o homem que o investigador procura?
Em quem se pode confiar numa história em que ninguém é quem parece ser?

Este livro é um daqueles "thrillers" que tem tudo, investigação, suspense, boa escrita, uma história que se vai desenvolvendo de forma rápida mantendo-nos presos do inicio ao fim e um final surpreendente e completamente inesperado.
Para quem gosta do género recomendo mesmo, é daqueles livros que não consegui parar de ler e que me prendeu do início ao fim.


Tenho um exemplar deste livro para venda, se alguém tiver interesse manda-me um email.

terça-feira, 16 de abril de 2019

Porquê a mim?

- "Porquê eu? Porquê a mim?" - Esta é provavelmente a frase que mais se diz quando alguma coisa dá errado na vida:
 - "porquê a mim que sou tão boa pessoa",
 - "porquê a mim que tento sempre dar o meu melhor",
 - "porquê a mim com tanta gente que há no mundo".

E se eu disser que estás a ver a vida pelo lado errado?

Sejamos sinceros, porque é que não devia acontecer? Porque é que só as outras pessoas no mundo "merecem" coisas más? Porque é que se existe tanta gente a passar por adversidades na vida, o mesmo não pode acontecer contigo? Porque é que és diferente e devias escapar ilesa à (i)lógica do universo?

Quando alguma coisa má acontece tens duas opções, tornar-te uma vitima da tua vida e dizer "porquê a mim?", chorar, barafustar, maldizer o mundo e tudo mais ou arregaçar as mangas e dizer "ok, a situação é má mas o que é que eu posso fazer para a resolver?" e ir à luta.
A situação é exactamente a mesma, a diferença é o papel que tu decides ter nela.
Queres ser uma vitima ou apenas uma pessoa a quem coisas más acontecem?

Além disso, não podes apenas agarrar-te às coisas más, não podes apenas ver o lado mau da vida, e as coisas boas que te acontecem? Não merecem o teu olhar?
Sim, eu sei que é mais fácil fazer o papel de coitadinha e deixar que a corrente da vida te arraste mas sabes essa não é a tua única opção?
Tu não precisas que a vida te arraste, tu podes levantar-te e decidir caminhar com os teus próprios pés, tu podes ver as coisas más apenas como coisas más e não como o fim da tua vida, tu podes passar a olhar para a tua vida como um todo e ver que paralelamente às coisas más existem coisas boas, só depende do ângulo pelo qual escolhes olhar para a tua vida.

Então de que lado preferes estar? Preferes ser vitima da tua vida com os "porquê a mim?" ou encarar a vida pronta para qualquer luta com um "Porque não a mim?"


segunda-feira, 15 de abril de 2019

Paulo Coelho - Na margem do rio Piedra eu sentei e chorei

E se o amor trouxesse com ele uma escolha difícil de fazer?
Se para viveres essa paixão a outra pessoa tivesse de abdicar de uma parte dele?
Se o medo dessa escolha te impedisse de aceitar e de lutar pelo que sentes?

Neste livro navegamos entre a emoção e a razão, entre o querer e o fazer, entre o desejar e o ser.
Podemos mesmo fugir ao nosso destino? Seremos realmente felizes se o fizermos ou seremos para sempre uma sombra do que estávamos destinados a ser?
Paulo Coelho mistura de uma forma magnifica o amor carnal e o amor espiritual, mostra-nos que quando amamos nada é impossível, que os sonhos foram feitos para serem realizados e que basta acreditarmos para conseguirmos.

O livro fala-nos de duas pessoas que se conhecem quase desde sempre mas que tem visões e planos diferentes para a vida.
Enquanto ele pretende voar e explorar o mundo, ela pretende criar raízes.
Enquanto ele acredita incondicionalmente em Deus, ela perdeu a sua fé e tem medo de o desviar do seu caminho.
Ao longo da jornada ela irá enfrentar não só os seus medos mas também as suas dúvidas, descobrindo o significado da palavra amor ao mesmo tempo que se redescobre a ela e ao mundo.

Haverá algo mais forte do que o amor? Este livro diz-nos que não.


"A perseverança é favorável" - I Ching

"Quem me dera que eu pudesse arrancar o coração do meu peito e atirá-lo na correnteza, e então não haveria mais dor, nem saudade, nem lembranças."

"Que as minhas lágrimas corram assim para bem longe, para que o meu amor nunca saiba que um dia chorei por ele."

"Parece ter acontecido há tanto tempo e, no entanto, faz apenas uma semana que reencontrei o meu amado e o perdi."

"Procure viver. Lembrar é para os mais velhos."

"Talvez o amor nos faça envelhecer antes da hora e nos torne jovens quando a juventude já passou. Mas como não recordar aqueles momentos? Por isso escrevia, para transformar a tristeza em saudade, a solidão em lembranças."

"Todas as histórias de amor são iguais."

"O caminho é feito ao andar."

sexta-feira, 12 de abril de 2019

Faz o que sentes.

Ninguém melhor do que tu sabe o que faz sentido na tua vida, ninguém sabe o que te faz feliz ou o que te completa, então pára de ouvir as opiniões do mundo e segue o teu instinto, ouve o teu coração e vai atrás do que te faz feliz.
Pára de te preocupar com o que os outros esperam que faças ou sejas, ninguém vai vestir a tua pele, és tu e só tu que terás de viver a tua vida, és tu quem terá de acordar todos os dias para fazer aquilo que escolheres.
Então pára e pensa, queres realmente continuar a acordar infeliz porque estás no caminho que deixaste que os outros determinassem para ti?
Queres mesmo fazer isso todos os dias?
Estás mesmo preparada para abdicar de quem tu és e do que tu queres só porque não foi essa a imagem que os outros idealizaram de ti?

Não!
Ninguém merece viver uma vida na qual não se sente bem, ninguém merece seguir um caminho que não foi o que escolheu, só porque é o que os outros desejam.
Chega, está na altura de fazeres aquilo que sentes, está na altura de mandares as opiniões alheias irem dar uma volta e concentrares-te em ti mesmo, no que tu dizes, no que tu sentes, no que tu queres.
A verdade é que não vais desiludir ninguém por mudares de caminho porque a única pessoa a quem tens obrigação de agradar é tu mesmo, és tu que vives a tua vida, que percorres o teu caminho, que sabes o que sentes todos os dias ao seguir passos que não queres seguir, só porque alguém se esqueceu de te dizer que podes traçar o teu próprio caminho, que não faz mal seguir por onde ninguém seguiu, que não faz mal correr atrás de sonhos, que não faz mal seres aquilo que tu quiseres ser.

Pois bem, aqui estou eu a dizer-te tudo o que nunca te disseram.
Tu podes ser aquilo que tu quiseres, tu podes fazer aquilo que te faz feliz, tu podes mudar de caminho e correr atrás dos teus sonhos, tu podes ser tu mesma e não a imagem que os outros projectam de ti. Então pára e escuta-te e depois vai atrás dos teus sonhos, vai ser feliz, porque se tu não lutares pela tua felicidade, ninguém o vai fazer por ti!
Vai à luta!


quinta-feira, 11 de abril de 2019

Janne Teller - Guerra e se fosse aqui?

E se fossemos nós a viver num país em guerra?
Se fosse a nossa casa a estar destruída?
Se fossem os nossos amigos e familiares a serem mortos?
Se fossemos nós a viver em clima de medo constante?
E se quiséssemos fugir e nenhum país nos quisesse acolher?
Se fossemos vistos como perigosos por não falarmos a língua de outro país ou os nossos costumes não serem aceites por eles?
O que sentiríamos se de repente não tivéssemos um sítio para chamar de nosso?

Este é um livro que tem tanto de pequeno como de poderoso, são 63 páginas que têm o intuito de nos fazer pensar na guerra e nos migrantes de uma outra forma. E se fosse connosco?
Como reagiríamos e nos sentiríamos?
A forma como o livro está escrito leva-nos a pensar nas coisas sobre um ponto de vista diferente do habitual, fora dos nossos preconceitos.
Não é de todo um tema fácil e a melhor solução - na minha opinião - seria obviamente a reconstrução dos países de origem para que estas pessoas pudessem ficar nas suas pátrias, no entanto, o objectivo do livro não é discutir soluções ou política, é fazer isso sim, com que cada um de nós pense no assunto de forma diferente e que aborde estas pessoas de uma forma diferente.
Recomendo muito a leitura, lê-se em menos de meia hora e acredito que tenha a capacidade de mudar pontos de vista.

(quando terminei de o ler falei dele nos stories do instagram, por isso quem quiser saber dos livros que vou gostando de ler antes de eles chegarem aqui, siga-me por lá.)

Fotografia da minha autoria

terça-feira, 9 de abril de 2019

Só agradece!

Quantas vezes por dia páras para agradecer aquilo que tens?
Quantas vezes agradeces a oportunidade de acordar mais um dia e continuar a lutar pelos teus sonhos?
Quantas vezes agradeces a saúde, a família, os amigos, o emprego, ou qualquer outra coisa boa que exista na tua vida?

Perdemos tanto tempo a reclamar deste mundo e do outro e tão pouco a agradecer aquilo que Deus nos dá.
Porquê?
Porque é que é mais fácil reclamar do transito em vez de agradecer o carro?
Porque é que é mais fácil reclamar do frio em vez de agradecer a roupa?
Porque é que é mais fácil reclamar da doença em vez de agradecer a possibilidade de termos como nos tratarmos?
Porque é que é mais fácil reclamar com alguém por algo que fez mal do que agradecer pelas milhares de coisas que já fez bem?
Porque é que preferimos sempre ver o lado mau das coisas em vez de nos focarmos nas coisas boas e nos limitarmos a agradecer por elas?

Gratidão gera gratidão e o universo devolve aquilo que lhe enviamos, então se estamos sempre a enviar-lhe energia negativa com as reclamações que fazemos ao longo do dia, como podemos esperar que ele nos retribua com coisas boas?
Olha à tua volta, descobre as milhares de coisas que merecem ser agradecidas e agradece.
Mas agradece de verdade, não porque fica bem ou é algo automático em ti, pára e olha à tua volta, agradece as pessoas que a vida te deu, agradece a oportunidade de veres o sol, agradece o simples facto de teres acordado.

Hoje é dia de reclamar menos e agradecer mais.
Lembra-te, o Universo dá-te o que tu lhe dás a ele, então: só agradece!


segunda-feira, 8 de abril de 2019

Beatrix Potter - Contos Completos

Este é daqueles livros que devia existir em todas as mesas de cabeceira para que todas as noites, quando os pais fossem aconchegar os seus filhos, pegassem nele e lessem uma história.
É um livro delicioso, com histórias relativamente curtas mas cheias de imaginação e mensagens. Temos desde o coelhinho que aprendeu a nunca mais desobedecer à mãe, ao esquilo que aprendeu a respeitar o espaço dos outros ou passando pelo gato que aprendeu que boas acções trazem boas consequências.
São - na sua maioria - histórias simples, sem grandes floreados e muito fáceis de explicar aos mais pequenos. Por isso mesmo podem ser lidas desde sempre, criando nos pequenos não só o hábito da leitura mas também o da imaginação e o de tentar perceber as mensagens que cada história nos ensina.
São cerca de 30 histórias e podem ser lidas pelos adultos aos mais pequenos ou pelos mais pequenos aos adultos, é sem dúvida um livro intemporal de que gosto muito.

Foto da minha autoria

sexta-feira, 5 de abril de 2019

A tua mente... Mente

Já alguma vez paraste para ouvir o que te diz a tua mente?
Já alguma vez reparaste o quanto ela te mente e te manipula?
Já alguma vez paraste para a questionares?
Já reparaste que a voz que ouves não reflecte necessariamente aquilo que és ou pensas?
Que na verdade a tua mente não é quem tu és? E que muitas vezes os medos, as afirmações e as teorias que ela te apresenta estão muito longe da verdade?
E mesmo assim somos tantas vezes dominados por ela.
E o mais estranho é que a maioria de nós nunca pensou no assunto ou perdeu tempo a debater com a sua própria mente.
Bom, há sempre uma primeira vez para tudo.

Ouve a tua mente, sem filtros nem questionamentos, anota tudo o que ela te diz e depois analisa.
Para cada frase da tua mente tens 3 opções "verdadeiro, falso ou não sei".
Relê frase por frase e responde, é verdade o que a tua mente te disse?
Perde tempo a analisar cada frase e vais descobrir que a maioria das coisas que a tua mente te dá como verdades absolutas são na verdade falsas ou algo que não sabes e não tens como saber.
Por exemplo quando sofres por antecipação e a tua mente te diz "o dia de amanhã vai ser muito difícil". Isto não é uma verdade, não tens como saber o futuro, então porque assumes isto como verdade absoluta e sofres por antecipação?
Ou quando a tua mente te diz "isso não vai dar certo por isso é melhor nem tentares" , isto é apenas uma tentativa de te sabotar, mais uma vez não tens como saber o que vai acontecer mas a verdade é que a maioria das vezes deixamos que a nossa mente nos controle e nos impeça de viver de forma plena.

A nossa mente mente-nos todos os dias (provavelmente por isso é que se chama mente), cabe-nos a nós apanhar-lhe as mentiras e não deixar que se transformem em verdades absolutas para nós.
Inicialmente não é um processo fácil, estamos tão habituados a ouvir a nossa mente que acreditamos plenamente que ela é um reflexo de quem somos. Nada mais falso. Há medida que a vamos contrariando e confrontado vamos percebendo exatamente isso.

Não somos aquilo que pensamos, somos muito mais.

Experimenta!


quinta-feira, 4 de abril de 2019

Isabel Allende - A casa dos espíritos

De que é feita uma família?
Como se mantém unida mesmo quando há mil ideais a separá-la?
O amor vence sempre ou por vezes o ódio assume o comando?

O livro conta-nos a história de uma família ao longo de 4 gerações.
Não é - na minha opinião - daqueles livros que nos prende logo na primeira página e que nos dá vontade de ler sem parar até ao fim mas é um livro bem escrito, com uma boa história, que tem a capacidade de nos fazer rir, chorar e ficar na expectativa de saber o que vem a seguir.
Não é um daqueles livros apaixonantes mas é um daqueles livros que no fim nos deixa uma sensação de contentamento por o termos lido.

"Quanto tempo vive o homem, por fim?
Vive mil anos ou um só?
Vive uma semana ou vários séculos?
Por quanto tempo morre o homem?
Que quer dizer para sempre?" - Pablo Neruda

"Estou tão velho que ao olhar-me ao espelho não me reconheço."

"Fui muito orgulhoso e por causa do meu orgulho sofri mais do que os outros."

"Entrou na minha vida como um anjo distraído que ao passar me roubou a alma."

"O porte de fada e aquela maneira de se mover como se voasse."

"Devo ter morrido um pouco."

"Esvaziei-me por dentro como um balão picado, foi-se-me todo o entusiasmo."

"Sentia o frio trespassar-me os ossos, apertar-me as mãos, entrando-me na alma."

terça-feira, 2 de abril de 2019

Ninguém disse que era fácil...

Já reparaste que descarregas as tuas tensões e frustrações nos teus filhos?
Que quando chegas ao fim do dia e respondes com a tua cara feia ou dois gritos estás apenas a afastá-los de ti?
Que eles são apenas crianças a tentarem crescer num mundo cada vez mais louco e que tu estás cada vez menos disponível para ajudar?
Eles não tem culpa se o dia te correu mal ou se estás cansado, não podes esperar que se comportem como adultos e te dêem espaço quando são apenas crianças e passaram o dia inteiro longe de ti, sabias que também eles enfrentaram desafios durante o seu dia?

"Mas eles não querem comer, nem fazer os trabalhos de casa ou sequer tomar banho e eu só quero 5 minutos de descanso" - dizes tu.
Pois, e eles só querem 5 minutos do ti. Sem gritos, sem stress, sem cansaço, sem ordens.
Se não querem comer talvez de vez em quando possas mudar a ementa, se não querem tomar banho talvez lhes possas ensinar como um banho pode ser bom e relaxante em vez de ser tomado a correr sobre gritos e ameaças e se não querem fazer os trabalhos de casa talvez possas tornar a aprendizagem mais divertida.
Não é porque são eles as crianças que tem de ser eles a cederem sempre e a fazerem o que mandas só porque sim, como se fossem robôs automáticos sem personalidade.
As crianças também tem o direito de sentir, de pensar, de questionar.

Tu e os teus filhos são uma equipa por isso não podes esperar que sejam sempre eles a terem de se adaptar a ti e aos teus dias stressados.
Quando os trouxeste ao mundo assumiste com eles um compromisso do qual agora não te podes demitir, por pior que sejam os teus dias.
Não, ninguém espera que sejas sempre perfeito e que nunca falhes, ninguém acha que vais conseguir chegar aos 18 anos deles sem lhes gritar umas quantas vezes ou a tua mão ir parar algumas vezes ao rabo deles, não é disso que se trata.

Há dias que serão sempre mais difíceis do que outros mas a culpa disso não é dos teus filhos, por isso quando chegares a casa depois de um dia horrível, respira fundo, senta-te no sofá, chama as tuas crianças para perto de ti e fica ali um bocadinho agarrado a elas, sem gritos, sem confusões, sem ordens, sem stress, só amor... conta-lhes que o teu dia foi péssimo e que estás muito cansado e pergunta como foi o deles, ouve as suas respostas, sem pressas e depois juntos, em equipa, estabelece o plano seguinte, talvez hoje não estejam assim tão sujos e possam fugir do banho ou quem sabe eles te surpreendam e queiram tomá-lo por iniciativa própria.
Talvez ao fim de semana em conjunto possam cozinhar refeições para congelarem e terem prontas para os dias mais loucos da semana.

Elaborem juntos um plano para que os dias se tornem mais fáceis, com menos gritos.
Deixa a loucura da tua vida lá fora e aproveita o tanto de amor que tens dentro de casa.
Vais ver que se torna tudo muito mais fácil.


segunda-feira, 1 de abril de 2019

Nora Roberts - Um sonho de esperança - Trilogia do Sonho III

E se a tua vida perfeita não fosse tão perfeita assim?
Se a pessoa que amas se revelasse um interesseiro que só ama o teu dinheiro em vez de te amar a ti?
É possível voltar a acreditar quando nos partiram o coração a um nível tão profundo?

Como já disse quando falei dos outros dois volumes, a trilogia tem como tema central três melhores amigas que fazem tudo umas pelas outras e que estão sempre lá quando é preciso.
Neste livro temos Laura, uma mulher que sempre teve uma vida aparentemente perfeita. Até ao dia em que descobre que o seu casamento é uma farsa, que o marido a trai e que só está interessado no património dela.
A partir daqui Laura terá de definir o que quer na vida, terá de dizer adeus à segurança de um casamento e conquistar a sua independência emocional, claro que contará com as suas duas melhores amigas para isso.

Este é mais um daqueles livros capazes de nos fazer chorar. É um romance do início ao fim, já sabemos que vai terminar bem e até adivinhamos umas quantas partes do livro e mesmo assim ficamos presas à história e sorrimos e choramos com ele.
É uma trilogia que recomendo muito para quem é fã de romances puros. Sem dúvida que os 3 livros são absurdamente fantásticos.

Outros volumes desta trilogia:
Um sonho de amor - Vol I 
Um sonho de vida - Vol II


"É preciso valorizar cada segundo."

"Prefiro o carácter à linhagem."

"Todos temos o lugar certo para nós."

"Os sonhos mudam."

"Há sempre alguma coisa por que viver."

"Não vou armar-me em sonhadora desta vez, nem querer mais do que alguém me pode dar. Quero apenas aproveitar." 

"O amor importa."