sexta-feira, 24 de maio de 2019

Vive!

Porque adias os teus sonhos para amanhã se nem sequer sabes se o amanhã vai chegar?
Porque deixas a felicidade para depois se o depois nunca é garantido?
Porque usas o tempo como desculpa se na verdade não sabes quanto tempo tens?

Pára de adiar o que queres fazer, pára de deixar as coisas para depois.
Vive o hoje, aproveita cada momento como se fosse o último - porque na verdade pode realmente ser o último.
Mata as saudades dos amigos que não vês à tanto tempo porque estão sempre todos muito ocupados, vai ao teu restaurante favorito, diz às pessoas que as amas, estabelece metas, realiza sonhos.

A vida é muito mais curta do que aquilo que desejamos, então vive-a, vive-a sem medo, sem arrependimentos, sem pensar no que teria acontecido se tivesses tido a coragem de fazer o que querias fazer.

Vá lá, arrisca-te a ser a pessoa que sempre quiseste ser.
Arrisca e sê feliz!


quinta-feira, 23 de maio de 2019

Jose Rodrigues Dos Santos - O setimo selo

Eu sei que as pessoas se esquecem, mas só temos um planeta e está na hora de cuidarmos deles.

O primeiro livro que li do José Rodrigues dos Santos foi "A filha do capitão", há muitos anos - tantos que nem me recordo da história - e lembro-me que na altura gostei muito. Tendo isso em conta e o enorme sucesso do autor, tinha grandes expectativas para este livro, mas fiquei desiludida.

O livro começa de um forma fantástica e rapidamente fiquei presa à história e a querer saber o que vem a seguir, o problema é que o autor perde-se nas explicações e o livro acabou por se tornar demasiado cansativo.
A personagem principal é – supostamente – uma pessoa culta e por isso não faz sentido absolutamente nenhum que precise que lhe expliquem a mesma coisa 3 vezes, a mesma coisa é explicada tanta vez que acaba por se tornar aborrecido.
Eu entendo que o autor queira escrever para um público vasto mas nesse caso criava uma personagem menos culta, para que as repetidas explicações fizessem sentido.
Se eu pudesse retirar todas as páginas de explicações repetidas (que deve ser quase metade do livro), este seria sem dúvida um livro excelente, a história é boa, está bem desenvolvida e queremos saber o desfecho, o problema é que não lhe podemos retirar páginas e por isso em vez de ser um livro muito bom, é apenas um livro mais ou menos.

 A história vira à volta dos interesses do petróleo e do aquecimento global (e é incrível como continuam a ser assuntos tão actuais e o livro continua a fazer tanto sentido).



"Prolongamos a vida e a partir de um certo limite, começamos a vegetar."

"As cifras decifram-se, os códigos descodificam-se."

"Tjukurpa" - Quer dizer tempo de sonho (não me lembro em que língua).

terça-feira, 21 de maio de 2019

Há lutas que não se podem ganhar...

Às vezes por mais que custe temos que aceitar que o amor não chega, temos de deixar partir, fechar a porta, dar a história por encerrada.
Às vezes temos de saber perder para que possamos ganhar, de que nos adianta ficar presa a uma história que nunca terá um final feliz? De que nos adianta bater numa tecla que sabemos há muito que está partida? De que nos adianta que aquela pessoa esteja se na verdade não quer estar?

Mereces alguém que te ame por inteiro, que se doe na mesma proporção que tu o fazes, mereces alguém que olhe para ti como se o resto do mundo não existisse e que se sinta feliz só por saber que estás ali.
Mereces alguém que te aceite com todos os teus defeitos, que não tente mudar-te ou sujeitar-te ao que ele considera ideal.
Mereces alguém que te respeite em todos os momentos e não apenas de vez em quando.

Aceita que há lutas que não se podem ganhar, aceita que chegou a hora de colocares um ponto final nessa história vazia de felicidade, aceita que chegou a hora de te amares a ti em primeiro lugar e de exigires ser amada na mesma medida.

Eu sei que dói e que custa, eu sei que ainda tens dentro de ti tantos sonhos que sonhaste com ele e que te custa desistir de os realizar, eu sei que o peito se aperta quando imaginas a tua vida sem ele, que te falta o ar ao saber que nunca mais verás aquele sorriso ou que aquele brilho que ele traz no olhar nunca mais será para ti ou por ti.
Mas confessa-me, quantas vezes te sentiste sozinha mesmo estando ele ao teu lado? Quantas vezes choraste por saber que o amor dele há muito deixou de existir? Quantas vezes disseste a ti mesma que o amor não se pede e logo a seguir foste pedir-lhe um pouco de atenção?

Mereces mais, mereces muito mais.
As histórias de amor só o são quando o amor existe dos dois lados, quando os sonhos e os planos são feitos a dois. Não és uma boneca que se pode por e tirar da prateleira sempre que lhe apetece, não és e não podes ser.

O mundo continua a girar mesmo quando temos o coração completamente partido, mesmo quando achamos que nos perdemos em mil pedaços e que nunca voltaremos a ficar inteiras.
O mundo continua a girar e tu tens de girar com ele, porque algures no teu caminho estará a pessoa certa, aquela que te amara de uma forma completa, sem mas nem porquês e apenas porque sim.

Então liberta-te dessa história que te prende e te deixa mais triste do que feliz, faz o luto por esse amor que há muito deixou de te completar, abre mão dos sonhos e dos planos que no fundo sabes que nunca irão acontecer e coloca-te como prioridade numa relação onde sempre foste apenas a opção.

Bate com a porta e vai ser feliz.
Custa, custa muito. Mas custa muito mais continuares a anular-te e a deixares de ser quem és.
Custa é verdade, mas não te custa quando te olhas ao espelho e vês que és uma sombra do que já foste?
O amor não tira o brilho, pelo contrário, faz-te brilhar ainda mais.
Então deixa a tua estrela voltar a brilhar, confia em ti, liberta-te das amarras mesmo que isso significa atirares o teu coração ao chão e chorares duas semanas seguidas, dois meses ou dois anos.

No fim vais descobrir que o sol continua a brilhar e que mais vale só do que mal acompanhada...
Vai ser feliz!


segunda-feira, 20 de maio de 2019

Souad - Queimada viva

E quando aqueles que nos deviam proteger são os mesmos que nos querem ver morta?
Quando a religião é distorcida ao ponto de o amor ser substituído pelo ódio?
Quando a vida humana vale menos do que a reputação de alguém?

É surreal saber que estas histórias não só são reais como continuam a acontecer nos dias de hoje.

Na Cisjordânia as mulheres simplesmente não têm direitos, não vão à escola, são tratadas como escravas pelos pais e posteriormente pelos maridos, levam tareias enormes de ambos, não podem olhar nem falar com um homem, são consideradas apenas um objecto, uma propriedade. E para elas isso é normal, é a única realidade que conhecem, elas não sonham que existe um mundo à parte, um mundo onde as mulheres têm direitos, um mundo onde levar tareias e ser escrava não é e não pode ser considerado normal.

Este livro chocou-me a todos os níveis, não consigo perceber como se criam homens para ser monstros.. Souad cometeu um "erro", o de se apaixonar e engravidar sem estar casada, por isso foi queimada viva e grávida, sobreviveu e conta a sua história.

Um relato impressionante e doloroso, que nos faz agradecer por termos nascido num país minimamente civilizado.



"Tinha medo desta vida e ninguém compreendia isso."

"Não podemos esquecer a nossa própria morte."

"Agora protege-me. Se não me protegeres não és um homem."

"O que ele faz com o meu corpo não é importante, é com a cabeça que eu o amo."

"Vou morrer. Não importa. Talvez já esteja morta."

"Impedi-la de morrer é uma coisa, ajudá-la a renascer é outra."

"O sorriso é uma forma de oferecer felicidade aos outros, mas não necessariamente a minha."

"Há algo que se quebrou em mim e, muitas vezes, as pessoas não se apercebem porque sorrio sempre por delicadeza, por respeito pelos outros."

"É muito bonito dizer «quero morrer». E os outros?"

"À força de querermos esquecer, acabamos por esquecer de facto."

"Eu estava morta na minha cabeça, tinha água em vez de ideias, não sabia o que fazia."

"Não tinha nada na cabeça, apenas medo."

sexta-feira, 17 de maio de 2019

Tudo começa na mente!

E às vezes vais na rua e de repente sentes o coração a bater num ritmo frenético, as mãos começam a suar frio, o cérebro desenrola um novelo de pensamentos que não fazem sentido nenhum e de repente parece que o mundo vai acabar e que vais morrer ali.
E porquê? Porque é que de repente coisas que eram tão fáceis de fazer passaram a ser grandes desafios? Porque é que acções que nem implicavam pensar de repente parecem monstros assustadores?
O cérebro é uma coisa complicada e por vezes gosta de se complicar ainda mais.

Todos sabemos que não dá para apagar memórias, não podemos simplesmente querer esquecer algo - até porque sempre que queremos esquecer algo, estamos na verdade a lembra-lo, a aumentar a sua intensidade e a criar novos sentimentos e pensamentos à volta dessa memória.
Então o que podemos fazer para vencer o cérebro? Como podemos voltar a ser donos da nossa mente em vez de ser ela o nosso dono?

Simplesmente questionando-a.

Se vão na rua e de repente entram em pânico com medo de ser atropelados, parem e comecem a questionar a vossa mente (não parem se tiverem no meio da estrada, óbvio).
Conversem com ela - não, não fiquei louca - perguntem-lhe de que tem medo se não vem nenhum carro, perguntem-lhe porque se assusta se o sinal está verde, perguntem-lhe que sentido faz tudo aquilo. E por muito que vos pareça absurdo a mente responde-vos, vocês vão-se aperceber que de repente vão pensar coisas como "todos os dias morrem centenas de pessoas atropeladas" e é nesta altura que tem de continuar a batalhar com a vossa mente: "é verdade, mas nós não vamos ser uma delas porque temos cuidado a atravessar a estrada", "sim eu sei, mas eu nunca atravesso se vier lá um carro".
Ao responder à vossa mente estão a criar novos pensamentos, sentimentos e memórias à volta daquela emoção assustador e aos poucos o vosso cérebro vai começar a abrir as janelas certas e o pânico vai começar a ir embora.

É claro que não acontece de um dia para o outro, é claro que terão muitas crises, até porque é muito difícil questionarem-se nos 5 segundos iniciais de uma crise e é aqui que tem que o começar a fazer, mas aos poucos conseguem e aos poucos vão vencendo o medo e vão voltando a ser os autores da vossa história.

Desafio-vos todos a fazer isto, seja com um ataque de pânico, seja com uma crise de ansiedade por antecedência (acontece tanto não é verdade, sofrer por antecedência?), seja com pensamentos negativos.
É sempre possível refutar a nossa mente, é sempre possível criar novas formas de pensar e de lidar com as coisas.
E sejamos sinceros a vida já nos apresenta tantos dramas e problemas não queremos realmente que a nossa mente seja mais um pois não?
Então dediquem-lhe tempo, destruam-lhe as bases do medo e do preconceito, cuidem da vossa mente da mesma forma que gostam de cuidar do vosso corpo. Não vos adianta de nada, ter um corpo são se a mente não o estiver.



Para quem quiser aprofundar este tema e para quem quiser aprender mais sobre como refutar a mente e como criar janelas saudáveis, recomendo pelo menos dois livros "revolucione a sua qualidade de vida" onde é tudo explicado por a + b e o "armadilhas da mente" que embora tenha muita psicoterapia tem um bocadinho de romance o que ajuda à leitura. São ambos do Augusto Cury.

quinta-feira, 16 de maio de 2019

Maria João Lopo de Carvalho - Adopta-me

E quando ninguém quer saber?
Quando passamos a ser invisíveis e já ninguém quer perder tempo a tentar mudar o mundo?
Quando a burocracia engole os sonhos ou quando a realidade nos cria carapaças que nos roubam a humanidade?

Este é daqueles livros que me conquistou completamente, não pelo romance paralelo que o livro nos conta - porque ai confesso que o achei completamente dispensável - mas sim porque nos mostra a dura realidade de algumas coisas que partimos do principio que são básicas e fáceis de resolver.

A personagem do livro é uma vereadora da Câmara de Lisboa, que nos vai mostrando algumas realidades dos bairros problemáticos da capital, como por exemplo a enorme burocracia que é necessária para fornecer uns meros cortinados a uma escola - algo que me deixou de boca aberta - ou como muitas vezes as crianças deste bairro são deixadas à sua sorte, sem ninguém que se interesse por elas, sem ninguém que se preocupe de verdade, que lhes mostre o rumo, que lhes diga que o futuro existe e pode ser risonho.

Um livro que nos faz pensar e ver além da nossa "bolha" e nos mostra problemas que nem sabemos que existem.
Recomendo muito.


"Os homens podem não ser todos uns cabrões."

"Há contas que se fazem com o coração."

"Falo com o coração, que é a unica maneira que tenho de me safar. Na minha ingenuidade, acredito que também quem ouve, ouve com o coração."

"A vida é uma idade quase toda feita de espaços em branco."

"Ou me perco aqui ou fujo daqui. Por uns tempos, preciso de recuar, preciso de ir ver outros caminhos. Preciso de um campo aberto para as lágrimas, preciso da distância de um lugar secreto, de uma memória, se calhar da distância de uma oração. Preciso de me ir embora daqui."

"Ser criança cansa... Ser adulto cansa muito mais."

"Tenho de aprender a blindar-me. Isso aprende-se? Onde?"

"O tempo não se controla."

segunda-feira, 13 de maio de 2019

Jodi Picoult - Para a minha irma

Não há maior amor no mundo do que o amor de um pai por um filho.
Mas e quando para salvar um temos de fazer sofrer outro?
Será justo?

O livro fala-nos de um casal perfeitamente normal com dois filhos saudáveis e que um dia recebe a terrível noticia de que a filha tem leucemia. Depois de ponderarem as opções, eles decidem ter um terceiro filho (Anna) para usar as células do cordão umbilical no tratamento da filha doente. No entanto as coisas não correm bem e durante anos Anna é sujeita a procedimentos médicos para ajudar a manter a irmã viva. Um dia ela decide que já chega e coloca os pais em tribunal de forma a que seja ela - e só ela - a decidir se quer ou não ajudar a irmã..

E é aqui que todos ficamos divididos..
O que faríamos se estivéssemos no lugar dos pais de Anna? É justo usar uma criança vezes e vezes sem conta sujeitando-a a procedimentos arriscados para salvar outra? Mas será justo não a usar e deixar morrer a outra filha?
Uma daquelas histórias que nos deixam com um nó no estômago porque não existe o certo e o errado e nenhum pai gostaria de estar nesta situação.

O livro é simplesmente fantástico e recomendo muito.


"Se os extraterrestres viessem à terra hoje e observassem com atenção porque é que os bebés nascem, chegariam à conclusão que a maioria das pessoas têm bebés acidentalmente, ou porque bebeu demais numa determinada noite, ou porque os anticoncepcionais não são 100% eficazes, ou por milhares de outras razões que na realidade não são lisonjeiras."

"Sem ti não consigo saber quem sou."

"Eu levo-a comigo, para onde quer que vá."

quinta-feira, 9 de maio de 2019

Marta Gautier - Tanto que eu não te disse!

E quando nada faz sentido?
Quando sair da cama é uma coisa tão difícil como escalar uma montanha?
Quando sorrir exige um esforço sobrenatural?
Quando é suposto sermos felizes e não somos?

Este livro conta-nos a história de uma mulher depressiva e a forma como encara a sua vida e as suas dificuldades.

Li este livro duas vezes em alturas completamente diferentes da minha vida. Em nenhuma das duas me consegui sentir cativada, nem pela história, nem pela escrita e nem pela personagem.
Vi imensas criticas positivas depois de o ter lido pela primeira vez, criticas que o consideravam como "uma viagem aos tormentos da mente humana" e pensei que talvez o problema fosse eu, talvez eu fosse muito prática e pragmática para entender o objectivo do livro e por isso anos mais tarde dei-lhe uma segunda oportunidade e voltei a reler, mas o sentimento foi o mesmo. Não consigo sentir empatia com a personagem, não consigo ver nela uma depressão crónica, olho para a personagem e só consigo ver aquelas pessoas que reclamam com tudo e que nunca estão satisfeitas e que culpam o mundo inteiro pelos seus próprios fracassos.
Apesar disso o livro tem frases muito boas que me fazem sentir que apesar de não gostar de mais nada nele, ele vale a leitura.

Alguém por ai já leu? Que opinião tem sobre ele?



"Amas-me? Se me amas estás doente, porque eu não sou nada. Juro que não te faço feliz. Se gostas de mim, és estúpido."

"Os teus olhos são perversos, disfarçados de cordeiros, não passam de lobos a devorar-me a liberdade"

"Levanta essa cabeça, mexe essas pernas e segue a tua estrela"

"Que dor não estares aqui para me aquecer. Saudades do teu riso"

"Desencontros permanentes que vão pesando sobre mim"

"Acredito no amor [...] No dia em que deixar de acreditar posso enlouquecer!"

"Hoje não quero ser louca"

"Amar é reconhecer o outro como diferente e não como um prolongamento de nós mesmos"

terça-feira, 7 de maio de 2019

Tu...

Tu que travas batalhas todos os dias,
Tu que enfrentas dragões,
Tu que que tens o coração partido e te esqueceste do sabor da felicidade,
Tu que há muito deixaste de sorrir,
Tu que tens sempre uma palavra amiga para os outros mas te esqueceste de ti,
Tu que te levantas todos os dias de manhã sem saber porque o continuas a fazer,
Tu que te sentes perdida e sem saber por onde seguir,
Tu que finges sorrisos quando tudo o que realmente queres é esquecer o mundo e desaparecer,
Tu que já pensaste tantas vezes no fim,
Tu que mesmo com o mundo virado de pernas para o ar sorris sempre para a velhota da esquina,
Tu que tentas fazer sempre o teu melhor mesmo quando ninguém o reconhece,
Tu que pensas em todos mesmo quando se esquecem de pensar em ti,
Tu que há muito te esqueceste do teu valor..

Este texto é apenas para te relembrar do teu valor, para te dizer que o teu sorriso é o mais bonito do mundo, que o brilho do teu olhar quando estás feliz é capaz de iluminar uma sala inteira, que o teu abraço é capaz de aquecer o coração mais frio.
É apenas para te relembrar que mereces o mundo e que tens capacidades para o conquistar, que consegues tudo se nunca desistires de tentar.
Este texto é apenas para te agradecer pelos teus esforços por um mundo melhor, por dares tudo de ti mesmo quando achas que ninguém está a ver.
Este texto é só para te relembrar que mereces o mundo.
Nunca desistas, és uma pessoa maravilhosa..


segunda-feira, 6 de maio de 2019

Dorothy Koomson - A filha da minha melhor amiga

Uma vida quase perfeita, um namorado que amamos e que nos ama, uma melhor amiga que nos completa, planos para o futuro que de repente mudam totalmente.

O que faríamos se descobríssemos que a filha da nossa melhor amiga, aquela menina que tanto amamos, é na verdade fruto de uma noite da nossa amiga com o nosso namorado?
Como reagiríamos à traição? E se dois anos depois de virarmos costas aos dois e os apagarmos da nossa vida descobríssemos que a nossa melhor amiga está a morrer e ela nos pedisse para adoptar a filha dela? Conseguiríamos lidar com os fantasmas do passado?

Um excelente livro que mostra que não adianta fugir dos problemas, eles vão connosco para onde quer que se fuja, e que há pessoas que aconteça o que acontecer, nunca deixaremos de amar.


"Sorriu porque vocês são meus irmãos e riu porque nada podem fazer para evitá-lo."

"Andava cansada à tanto tempo que já nem me lembrava desde quando, pelo menos com exactidão."

"Por mais que dormisse, estava sempre cansada. Visceralmente cansada."

"Não acreditei. Não, não é verdade. Eu acreditei, só não compreendi. Não compreendi porquê. Nem como. A mim não."

"Eu chorava, soluçava e gemia. Sim, gemia. Fazia um barulho medonho enquanto me desfazia num milhão, num trilião de pedaços."

"Cada aniversário é um bónus."

"A porta estava entreaberta e não se queixou quando eu a empurrei devagarinho. Não bati. Nunca batia a uma porta já aberta. Pois, para mim isso queria sempre dizer «entre, não é preciso bater»."

"Ela sempre tivera mais estilo do que juízo."

sexta-feira, 3 de maio de 2019

A lista!

Faz uma lista.
Não uma lista das coisas que tens para fazer hoje ou amanhã, mas uma lista das coisas que tens para fazer ao longo de toda a tua vida.
Faz uma lista de sonhos, de desejos, de planos, de metas.
Faz uma lista de tudo o que sonhas alcançar, de tudo o que queres fazer.
E escreve as coisas mais simples e ridículas assim como as mais complexas e aparentemente impossíveis.
Este ano queres ler 50 livros, escreve.
Queres muito ver aquele livro especifico ou aquele filme, escreve.
Sonhas atingir um milhão de seguidores no teu blog? Escreve.
Queres muito ir ao Brasil, ter aquela casa gigante de dois pisos e 7 quartos, comprar um carro novinho? Escreve.

Escreve tudo o que gostarias de fazer e depois começa por realizar as coisas mais simples, aquele livro que queres ler, aquele filme que queres ver, aquela amiga que queres abraçar e vai vivendo sem dramas nem pressões para conseguires fazer o resto da lista porque um dia chegas lá e eu estou-te a pedir que a faças por um único motivo.
Para que nunca te esqueças que ainda há razões para continuar, para seguir em frente, para vencer mais um dia.
Ainda há metas e planos para realizar, ainda há sonhos para concretizar, ainda há muito para fazer.

Por isso faz a lista e nos dias em que as coisas te parecerem realmente más, pega nela e recupera todos os sonhos que ali escreveste, ganha forças para continuar a sonhar e a tentar realizar, volta a acreditar em ti e no mundo e bora lá que o caminho é em frente.

E todos os anos pega na tua lista, congratula-te pelo que tiveres conseguido realizar, tira as coisas com as quais já não te identificas e acrescenta todos os novos sonhos que tiveres mas nunca nunca tires um sonho por parecer muito impossível de se realizar, na vida tudo é possível, basta acreditares!


quinta-feira, 2 de maio de 2019

Corinne Hofmann - Casei com um massai

Corinne é uma empresária Suiça que numas férias ao Quénia se apaixona por um Massai e que quando regressa ao seu pais decide vender tudo para regressar ao Quénia e procurar o seu Massai.
Começam aqui uma série de aventuras...

Para mim este livro é a prova de como o amor afecta a cabeça de uma pessoa.
Esta mulher deixou tudo para viver no meio do mato com o homem que amava, sem luxos e muitas vezes sem comida, tolerou coisas que me irritaram só de as ler e só desistiu quando o amor acabou.
Não consigo decidir se o livro é uma prova de amor ou de loucura (embora ache que o amor em si tem sempre uma dose de loucura) mas a verdade é que mesmo depois de acabarmos o livro queremos saber o que se passou a seguir e como é que ela retomou a sua vida.
Vale a pena ler, porque o amor está sempre pronto a enfrentar as barreiras.



"Tudo se pode aprender."

"Vivo vazia perante mim própria."

terça-feira, 30 de abril de 2019

Deixem as crianças serem crianças!

Deixem as crianças brincar com bonecos, saltar à corda, jogar à bola.
Ensinem-nas a jogar ao elástico, ao galo e ao pião.

Digam-lhes para convidar as amiguinhas e façam "colégios" de nenucos em casa, deixem-nas espalhar os brinquedos pela sala (ensinem a arrumar no fim da brincadeira). Saibam os nomes dos amigos dos vossos filhos.

Joguem à macaca, levem-nas ao parque infantil.
Deixem-nas trepar as árvores, esfolar os joelhos, brincar na lama.

Jantem ao mesmo tempo que eles, perguntem-lhes como foi o dia, ajudem-nos a fazer os trabalhos de casa, transformem a hora do banho numa altura de festa.

Contem histórias para dormir, dêem-lhes beijos de boa noite, aconcheguem-lhes os lençóis, desejem sonhos cor de rosa, azuis, verdes e das cores do arco íris.

Deixem as crianças serem crianças, sem estarem horas enfiadas em frente à televisão para que os pais possam descansar, sem lhes enfiar um tablet na mão para que os pais possam responder às mensagens, sem os mandar calar porque estão ao telefone, sem os fazerem jantar sozinhos porque ainda há tantas tarefas por fazer, sem os confinarem a brincar apenas no quarto porque o resto da casa não é para desarrumar.

Elas crescem tão rápido, vão ter tanto tempo para ser adultos e terem "problemas de crescidos", esta é suposto ser a altura mais feliz da vida deles, onde podem ser despreocupados, sem pensarem nos dramas do mundo. Então deixem os vossos filhos serem crianças, sejam crianças com os vossos filhos!


segunda-feira, 29 de abril de 2019

Brian Weiss - Só o amor é real

Já vos aconteceu olharem para alguém e sentirem que conhecem aquela pessoa de algum lado, mesmo que nunca a tenham visto na vida?
Já sentiram uma ligação que vai para além da lógica?
Um amor que parece ter sido à primeira vista?

Brian Weiss é um famoso psiquiatra norte-americano especialista em regressões a vidas passadas; ele acredita que muitos dos nossos traumas nesta vida estão relacionados com acontecimentos que vivemos em outras vidas e mais importante, ele acredita que todos temos almas gémeas e que as vamos encontrado ao longo de várias vidas.
Os pais, os irmãos, os amigos, os amores, segundo Brian Weiss,  esta não é a primeira vez que vivemos e gostamos de certas pessoas..
Este livro fala de algumas regressões e de pessoas que descobriram que a pessoa que amam nesta vida, já as acompanha há várias vidas...
Brian Weiss faz-nos acreditar em finais felizes, afinal se não for nesta, teremos sempre outra vida para tentar :)


"O destino dita o encontro entre almas gémeas. Encontra-las-emos. Mas o que decidimos fazer após esse encontro cai no campo da livre escolha. Uma escolha errada ou uma oportunidade desperdiçada pode conduzir a incrível solidão e sofrimento."

"Há sempre alguém especial para cada um de nós. Frequentemente existem dois ou três, ou mesmo quatro. Provêm de diferentes gerações.Viajam através dos oceanos do tempo e das profundezas das dimensões celestiais para estarem novamente connosco. Vêm do outro lado, do céu. Estão diferentes mas o seu coração reconhece-os. Coração esse que os teve nos braços de que então dispunha... Estão unidos pela eternidade e nunca estarão sós.
A sua cabeça pode dizer: «Mas eu não o conheço». Mas o seu coração sabe que não é assim.
Ele pega-lhe na mão pela primeira vez, e a memória do seu toque transcende o tempo e perturba profundamente todos os átomos do seu ser.
Ela olha-o nos olhos, e você vê nela uma alma que foi sua companheira através dos séculos. O seu estômago revira-se. Os seus braços ficam arrepiados. Tudo o que é exterior a este momento perde importância.
Ele pode não a reconhecer, mesmo que finalmente se tenham encontrado de novo, mesmo que você o reconheça. Você consegue sentir o laço da união. Consegue ver o potencial, o futuro. Mas ele não. Os seus medos, o seu intelecto, os seus problemas mantêm um véu sobre os olhos do seu coração. Ele não a deixa ajudá-lo a remover esse véu. Você lamenta-se e sofre, e ele segue o seu caminho, O destino pode ser tão volúvel.
Quando ambos se reconhecem, nenhum vulcão poderia entrar em erupção com mais paixão. A energia libertada é tremenda.
O reconhecimento das almas pode ser imediato. Um sentimento súbito de familiaridade, a sensação de conhecer esta nova pessoa a uma profundidade muito além daquela que a consciência permitiria... saber intuitivamente o que dizer, como vão reagir. Um sentimento de segurança e confiança muito maior do que aquele que alguma vez poderia ser conquistado num dia, numa semana ou num mês.
O reconhecimento das almas pode também ser lento e subtil. Uma alvorada gradual à medida que o véu é gentilmente removido. Nem todos estão preparados para o reconhecimento imediato. Há que dar tempo ao tempo, e muita paciência pode ser necessária para aquele que vê primeiro."


"Uma dor profunda envolvia o seu coração. Sentia-se enfraquecida e de alguma forma carente."

"Ela sentiu como se o seu coração tivesse sido despedaçado e arrancado."

"Não tinha ninguém com quem partilhar os seus medos e a sua dor.
[...] Assim, manteve-se fechada, no seu desespero, e os dias decorriam cada vez mais pesados."

"Não te vou deixar - Amar-te-ei para sempre."

"Sentiu um enorme e profundo vazio no seu coração e na sua vida. Parecia que nunca mais poderia vir a sentir-se inteira. Durante meses, chorou."

"Tinha perdido a sua conselheira e confidente diária, a sua amiga mais intima.
Tinha perdido a sua principal fonte de orientação e apoio.
Ela sentia-se desorientada, só, à deriva."


sexta-feira, 26 de abril de 2019

Muda o mundo de alguém!

Sabes aqueles dias em que nada parece fazer sentido, em que por mais que tentes não sabes o que andas aqui a fazer e em que parece que nada corre bem?
Pois é, todos temos dias assim mas hoje, tu vais mudar o dia de alguém.

Agarra num papel e escreve uma carta, escreve tudo o que tu gostarias de ouvir se estivesses a ter um dia terrível e escreve como se a carta fosse para o teu melhor amigo.

Não importa se não és lá muito bom com palavras, hoje vais escrever com o coração. Imagina que tens a pessoa à tua frente, que ela está a ter um dia horrível e que mudá-lo só depende de ti.

Continuas sem fazer o que escrever? Bem, posso dar-te umas ideias, que tal dizer-lhe que o mau humor faz rugas e que um sorriso é sempre mais bonito?
Que tal dizer-lhe que apesar de as coisas hoje não estarem a correr bem, o dia ainda não acabou e que depende sempre de nós decidir como queremos que ele termine?
Que tal sugerir que quem lê desate a lançar sorrisos a estranhos e anime também o dia dos outros?
Ou então podes dizer que mesmo sem veres, sabes que a pessoa que pegar naquela carta é uma pessoa linda e que merece o mundo inteiro cheio de coisas boas.
Lembra-a que recebemos do universo aquilo que lhe damos e que por isso convém dar mais sorrisos do que caras mal humoradas, mais amor do que tristeza, mais felicidade do que frustração.

Enfim, escreve tudo o que te passar pela cabeça - desde que sejam coisas bonitas claro - e no fim deixa a carta na sala de espera de um posto de saúde, num café, nos bancos do metro.
Em qualquer sitio que te apeteça.
Deixa-a ali carregada com o teu amor e com a tua esperança em tornar o dia de alguém melhor e vai à tua vida, segue o teu caminho com a certeza de que quem encontrar a tua carta terá um dia muito mais feliz.

Talvez a pessoa pegue na tua carta e resolva escrever uma outra e continuar a espalhar o amor que iniciaste, talvez a tua acção gere uma corrente de amor.
Quem sabe?
O importante é começar, por isso começa.
Escreve uma carta e muda o mundo de alguém.


quinta-feira, 25 de abril de 2019

Alloma Gilbert - Criada no Inferno

Como se pode fazer mal a uma criança?
Como se pode negar-lhes amor e em vez disso descarregar nelas todas as frustrações e todos os desejos de vingança que se tem pelo mundo?
Como conseguem estas pessoas dormir de noite?
Que tipo de sádicos existem neste mundo que precisam de magoar e torturar crianças para se sentirem realizadas?

É completamente desolador saber que isto acontece, como é que podem existir pessoas tão cruéis que tiram prazer do sofrimento de uma criança? E torna-se ainda mais triste perceber que muitas vezes isto é um ciclo, crianças maltratadas tornam-se em adultos que maltratam.

Este livro é um relato chocante - e verídico - contado na primeira pessoa. Uma história tão forte de maus tratos infantis que por vezes tive de parar de ler para não vomitar.
É daqueles livros que nos faz querer enfiar a cabeça na areia e não saber que existem pessoas tão monstruosas como Eunice...




"As crianças precisam tanto de afecto que o pedem inclusivamente ao próprio abusador."

terça-feira, 23 de abril de 2019

Acredita que consegues e conseguirás!

Não deixes de acreditar em ti.
Não deixes que o que os outros dizem ou pensam determine a pessoa que tu és.
Não deixes que a falta de crença que eles tem te apanhe no meio do caminho e te roube os sonhos e as esperanças.

És tu e só tu quem tem de acreditar,
és tu e só tu que tens que saber se esse é realmente o caminho que queres seguir,
és tu e só tu que sabe o que te faz feliz e o que te faz querer continuar todos os dias.

Não importa se todos perderam a fé, desde que tu conserves a tua.
Por isso traça o teu caminho, define as tuas metas, lembra-te da tua força e vai.
Agarra nos teus sonhos e nos teus planos e vai.

O caminho talvez não seja fácil, mas se acreditares sempre em ti, se te lembrares sempre do motivo que te fez partir em busca do sonho, se confiares sempre no teu potencial e acreditares naquilo que estás a fazer; então nada te conseguirá parar.

Vai lá miúda, tens o mundo inteiro para conquistar.
Não desistas!

segunda-feira, 22 de abril de 2019

William Gladstone - Os doze

E se salvar o mundo dependesse de si?
Se tivesse uma missão?
E se falhasse?

Aos 15 anos Max passa por um experiência de quase morte e são-lhe revelados 12 nomes, durante muito tempo Max não faz ideia do que esses nomes significam ou do que deve fazer com eles. Até que um dia as peças começam a juntar-se e Max descobre a enormidade da sua missão.
Conseguirão salvar o mundo? Ainda irão a tempo de o fazer?

Quando comecei a ler o livro estava à espera de um daqueles thrillers cheios de aventuras para evitar o fim do mundo mas não foi nada disso que encontrei.
Mais ou menos até meio do livro ficamos sem saber muito bem o que é que está a acontecer e qual é afinal a missão e o objetivo de tudo aquilo, a partir do meio descobrimos que existe sim uma "busca" para evitar o fim do mundo - mas sem adrenalina e aventuras perigosas - e queremos sempre saber o que vem a seguir e ler ler ler para saber como acaba.
No fim sorrimos e pensamos "era tão bom se fosse assim".
É um bom livro, não é super emocionante e cheio de aventuras mas vale pelo final.


"O mundo é demasiado vasto e complexo para que possas compreender tudo o que se passa nele."

"Cheguei à fronteira negra do desespero... Não sei quem sou, o que quero ou o que posso fazer, nem para onde vou... Estou farto de mim... Não há esperança... É preciso abandonar esta vida... Quero abdicar dela."

"O mundo é vasto, estranho e está cheio de mistérios. Não duvides, por mais humilde que sejas, de que tens um papel importante a desempenhar neste mistério que é a vida."

"Por vezes a intenção é tão importante como os resultados."

sexta-feira, 19 de abril de 2019

Abre o teu coração...

Abre o teu coração, procura a chave com que o trancaste há tanto tempo atrás e volta a deixar entrar o sol.
Nem todas as pessoas que passam na tua vida são iguais, nem todas as pessoas te vão magoar, nem todas as pessoas te vão despedaçar o coração e te deixar sem ar, sem alma, sem chão.
Destranca o coração porque algures por ai está aquela pessoa especial, aquela que quer realmente ficar, que quer realmente fazer parte da tua vida, que vem para somar e não para subtrair, que está disposto a dar-te tanto como tu a ela.
Destranca o teu coração e permite que as pessoas voltem a entrar, que se acomodem sem teres medo que decidam partir, que te dêem o que têm de melhor, que te ensinem as suas lições sem que tenhas medo de as aprender.

Talvez o amor ande mais perto do que tu julgas e tu não o vês porque enclausuraste o teu coração com medo de o ver partido outra vez, porque o encheste de grades e fechaste todas as portas e janelas, porque achaste que essa era a melhor maneira de não voltar a sofrer.

Olha à tua volta e vê quantas pessoas passaram sem que tu te permitisses vê-las, quantas continuam à tua espera, quantas a vida levou de volta a ti.

Já chega de te esconderes com medo do mundo, está na hora de deixares o coração bater novamente, de lhe tirares as correntes e aprender o que a vida te quiser ensinar.
Não vai ser sempre fácil mas tu já aprendeste que aconteça o que acontecer é sempre possível sobreviver.

Então vai lá procurar a chave, abre o teu coração e permite-te ser feliz.
O mundo está cheio de pessoas maravilhosas, descobre-as!


quinta-feira, 18 de abril de 2019

Romain Sardou - Livrai-nos do mal

E se o teu dom te pudesse custar a vida?
Se aqueles que fizeram um juramento sagrado fossem na verdade os mais impuros de todos?
Se ninguém fosse o que parece e não soubesses em quem confiar?

Num lado temos crianças desaparecidas e um padre que decide procurá-las, no outro temos um investigador privado que é procurado por uma jovem cujo irmão (adulto) desapareceu e com o qual ela está preocupado.
O que tem uma coisa a ver com a outra? Aparentemente nada.
Mas a verdade é que o caminho do padre e do inspector se vão cruzar e o que não parecia relevante ganha afinal uma importância extrema. Porque andam crianças a desaparecer? O que tem afinal a igreja a ver com isso? Onde está o homem que o investigador procura?
Em quem se pode confiar numa história em que ninguém é quem parece ser?

Este livro é um daqueles "thrillers" que tem tudo, investigação, suspense, boa escrita, uma história que se vai desenvolvendo de forma rápida mantendo-nos presos do inicio ao fim e um final surpreendente e completamente inesperado.
Para quem gosta do género recomendo mesmo, é daqueles livros que não consegui parar de ler e que me prendeu do início ao fim.


Tenho um exemplar deste livro para venda, se alguém tiver interesse manda-me um email.

terça-feira, 16 de abril de 2019

Porquê a mim?

- "Porquê eu? Porquê a mim?" - Esta é provavelmente a frase que mais se diz quando alguma coisa dá errado na vida:
 - "porquê a mim que sou tão boa pessoa",
 - "porquê a mim que tento sempre dar o meu melhor",
 - "porquê a mim com tanta gente que há no mundo".

E se eu disser que estás a ver a vida pelo lado errado?

Sejamos sinceros, porque é que não devia acontecer? Porque é que só as outras pessoas no mundo "merecem" coisas más? Porque é que se existe tanta gente a passar por adversidades na vida, o mesmo não pode acontecer contigo? Porque é que és diferente e devias escapar ilesa à (i)lógica do universo?

Quando alguma coisa má acontece tens duas opções, tornar-te uma vitima da tua vida e dizer "porquê a mim?", chorar, barafustar, maldizer o mundo e tudo mais ou arregaçar as mangas e dizer "ok, a situação é má mas o que é que eu posso fazer para a resolver?" e ir à luta.
A situação é exactamente a mesma, a diferença é o papel que tu decides ter nela.
Queres ser uma vitima ou apenas uma pessoa a quem coisas más acontecem?

Além disso, não podes apenas agarrar-te às coisas más, não podes apenas ver o lado mau da vida, e as coisas boas que te acontecem? Não merecem o teu olhar?
Sim, eu sei que é mais fácil fazer o papel de coitadinha e deixar que a corrente da vida te arraste mas sabes essa não é a tua única opção?
Tu não precisas que a vida te arraste, tu podes levantar-te e decidir caminhar com os teus próprios pés, tu podes ver as coisas más apenas como coisas más e não como o fim da tua vida, tu podes passar a olhar para a tua vida como um todo e ver que paralelamente às coisas más existem coisas boas, só depende do ângulo pelo qual escolhes olhar para a tua vida.

Então de que lado preferes estar? Preferes ser vitima da tua vida com os "porquê a mim?" ou encarar a vida pronta para qualquer luta com um "Porque não a mim?"


segunda-feira, 15 de abril de 2019

Paulo Coelho - Na margem do rio Piedra eu sentei e chorei

E se o amor trouxesse com ele uma escolha difícil de fazer?
Se para viveres essa paixão a outra pessoa tivesse de abdicar de uma parte dele?
Se o medo dessa escolha te impedisse de aceitar e de lutar pelo que sentes?

Neste livro navegamos entre a emoção e a razão, entre o querer e o fazer, entre o desejar e o ser.
Podemos mesmo fugir ao nosso destino? Seremos realmente felizes se o fizermos ou seremos para sempre uma sombra do que estávamos destinados a ser?
Paulo Coelho mistura de uma forma magnifica o amor carnal e o amor espiritual, mostra-nos que quando amamos nada é impossível, que os sonhos foram feitos para serem realizados e que basta acreditarmos para conseguirmos.

O livro fala-nos de duas pessoas que se conhecem quase desde sempre mas que tem visões e planos diferentes para a vida.
Enquanto ele pretende voar e explorar o mundo, ela pretende criar raízes.
Enquanto ele acredita incondicionalmente em Deus, ela perdeu a sua fé e tem medo de o desviar do seu caminho.
Ao longo da jornada ela irá enfrentar não só os seus medos mas também as suas dúvidas, descobrindo o significado da palavra amor ao mesmo tempo que se redescobre a ela e ao mundo.

Haverá algo mais forte do que o amor? Este livro diz-nos que não.


"A perseverança é favorável" - I Ching

"Quem me dera que eu pudesse arrancar o coração do meu peito e atirá-lo na correnteza, e então não haveria mais dor, nem saudade, nem lembranças."

"Que as minhas lágrimas corram assim para bem longe, para que o meu amor nunca saiba que um dia chorei por ele."

"Parece ter acontecido há tanto tempo e, no entanto, faz apenas uma semana que reencontrei o meu amado e o perdi."

"Procure viver. Lembrar é para os mais velhos."

"Talvez o amor nos faça envelhecer antes da hora e nos torne jovens quando a juventude já passou. Mas como não recordar aqueles momentos? Por isso escrevia, para transformar a tristeza em saudade, a solidão em lembranças."

"Todas as histórias de amor são iguais."

"O caminho é feito ao andar."

sexta-feira, 12 de abril de 2019

Faz o que sentes.

Ninguém melhor do que tu sabe o que faz sentido na tua vida, ninguém sabe o que te faz feliz ou o que te completa, então pára de ouvir as opiniões do mundo e segue o teu instinto, ouve o teu coração e vai atrás do que te faz feliz.
Pára de te preocupar com o que os outros esperam que faças ou sejas, ninguém vai vestir a tua pele, és tu e só tu que terás de viver a tua vida, és tu quem terá de acordar todos os dias para fazer aquilo que escolheres.
Então pára e pensa, queres realmente continuar a acordar infeliz porque estás no caminho que deixaste que os outros determinassem para ti?
Queres mesmo fazer isso todos os dias?
Estás mesmo preparada para abdicar de quem tu és e do que tu queres só porque não foi essa a imagem que os outros idealizaram de ti?

Não!
Ninguém merece viver uma vida na qual não se sente bem, ninguém merece seguir um caminho que não foi o que escolheu, só porque é o que os outros desejam.
Chega, está na altura de fazeres aquilo que sentes, está na altura de mandares as opiniões alheias irem dar uma volta e concentrares-te em ti mesmo, no que tu dizes, no que tu sentes, no que tu queres.
A verdade é que não vais desiludir ninguém por mudares de caminho porque a única pessoa a quem tens obrigação de agradar é tu mesmo, és tu que vives a tua vida, que percorres o teu caminho, que sabes o que sentes todos os dias ao seguir passos que não queres seguir, só porque alguém se esqueceu de te dizer que podes traçar o teu próprio caminho, que não faz mal seguir por onde ninguém seguiu, que não faz mal correr atrás de sonhos, que não faz mal seres aquilo que tu quiseres ser.

Pois bem, aqui estou eu a dizer-te tudo o que nunca te disseram.
Tu podes ser aquilo que tu quiseres, tu podes fazer aquilo que te faz feliz, tu podes mudar de caminho e correr atrás dos teus sonhos, tu podes ser tu mesma e não a imagem que os outros projectam de ti. Então pára e escuta-te e depois vai atrás dos teus sonhos, vai ser feliz, porque se tu não lutares pela tua felicidade, ninguém o vai fazer por ti!
Vai à luta!


quinta-feira, 11 de abril de 2019

Janne Teller - Guerra e se fosse aqui?

E se fossemos nós a viver num país em guerra?
Se fosse a nossa casa a estar destruída?
Se fossem os nossos amigos e familiares a serem mortos?
Se fossemos nós a viver em clima de medo constante?
E se quiséssemos fugir e nenhum país nos quisesse acolher?
Se fossemos vistos como perigosos por não falarmos a língua de outro país ou os nossos costumes não serem aceites por eles?
O que sentiríamos se de repente não tivéssemos um sítio para chamar de nosso?

Este é um livro que tem tanto de pequeno como de poderoso, são 63 páginas que têm o intuito de nos fazer pensar na guerra e nos migrantes de uma outra forma. E se fosse connosco?
Como reagiríamos e nos sentiríamos?
A forma como o livro está escrito leva-nos a pensar nas coisas sobre um ponto de vista diferente do habitual, fora dos nossos preconceitos.
Não é de todo um tema fácil e a melhor solução - na minha opinião - seria obviamente a reconstrução dos países de origem para que estas pessoas pudessem ficar nas suas pátrias, no entanto, o objectivo do livro não é discutir soluções ou política, é fazer isso sim, com que cada um de nós pense no assunto de forma diferente e que aborde estas pessoas de uma forma diferente.
Recomendo muito a leitura, lê-se em menos de meia hora e acredito que tenha a capacidade de mudar pontos de vista.

(quando terminei de o ler falei dele nos stories do instagram, por isso quem quiser saber dos livros que vou gostando de ler antes de eles chegarem aqui, siga-me por lá.)

Fotografia da minha autoria

terça-feira, 9 de abril de 2019

Só agradece!

Quantas vezes por dia páras para agradecer aquilo que tens?
Quantas vezes agradeces a oportunidade de acordar mais um dia e continuar a lutar pelos teus sonhos?
Quantas vezes agradeces a saúde, a família, os amigos, o emprego, ou qualquer outra coisa boa que exista na tua vida?

Perdemos tanto tempo a reclamar deste mundo e do outro e tão pouco a agradecer aquilo que Deus nos dá.
Porquê?
Porque é que é mais fácil reclamar do transito em vez de agradecer o carro?
Porque é que é mais fácil reclamar do frio em vez de agradecer a roupa?
Porque é que é mais fácil reclamar da doença em vez de agradecer a possibilidade de termos como nos tratarmos?
Porque é que é mais fácil reclamar com alguém por algo que fez mal do que agradecer pelas milhares de coisas que já fez bem?
Porque é que preferimos sempre ver o lado mau das coisas em vez de nos focarmos nas coisas boas e nos limitarmos a agradecer por elas?

Gratidão gera gratidão e o universo devolve aquilo que lhe enviamos, então se estamos sempre a enviar-lhe energia negativa com as reclamações que fazemos ao longo do dia, como podemos esperar que ele nos retribua com coisas boas?
Olha à tua volta, descobre as milhares de coisas que merecem ser agradecidas e agradece.
Mas agradece de verdade, não porque fica bem ou é algo automático em ti, pára e olha à tua volta, agradece as pessoas que a vida te deu, agradece a oportunidade de veres o sol, agradece o simples facto de teres acordado.

Hoje é dia de reclamar menos e agradecer mais.
Lembra-te, o Universo dá-te o que tu lhe dás a ele, então: só agradece!


segunda-feira, 8 de abril de 2019

Beatrix Potter - Contos Completos

Este é daqueles livros que devia existir em todas as mesas de cabeceira para que todas as noites, quando os pais fossem aconchegar os seus filhos, pegassem nele e lessem uma história.
É um livro delicioso, com histórias relativamente curtas mas cheias de imaginação e mensagens. Temos desde o coelhinho que aprendeu a nunca mais desobedecer à mãe, ao esquilo que aprendeu a respeitar o espaço dos outros ou passando pelo gato que aprendeu que boas acções trazem boas consequências.
São - na sua maioria - histórias simples, sem grandes floreados e muito fáceis de explicar aos mais pequenos. Por isso mesmo podem ser lidas desde sempre, criando nos pequenos não só o hábito da leitura mas também o da imaginação e o de tentar perceber as mensagens que cada história nos ensina.
São cerca de 30 histórias e podem ser lidas pelos adultos aos mais pequenos ou pelos mais pequenos aos adultos, é sem dúvida um livro intemporal de que gosto muito.

Foto da minha autoria

sexta-feira, 5 de abril de 2019

A tua mente... Mente

Já alguma vez paraste para ouvir o que te diz a tua mente?
Já alguma vez reparaste o quanto ela te mente e te manipula?
Já alguma vez paraste para a questionares?
Já reparaste que a voz que ouves não reflecte necessariamente aquilo que és ou pensas?
Que na verdade a tua mente não é quem tu és? E que muitas vezes os medos, as afirmações e as teorias que ela te apresenta estão muito longe da verdade?
E mesmo assim somos tantas vezes dominados por ela.
E o mais estranho é que a maioria de nós nunca pensou no assunto ou perdeu tempo a debater com a sua própria mente.
Bom, há sempre uma primeira vez para tudo.

Ouve a tua mente, sem filtros nem questionamentos, anota tudo o que ela te diz e depois analisa.
Para cada frase da tua mente tens 3 opções "verdadeiro, falso ou não sei".
Relê frase por frase e responde, é verdade o que a tua mente te disse?
Perde tempo a analisar cada frase e vais descobrir que a maioria das coisas que a tua mente te dá como verdades absolutas são na verdade falsas ou algo que não sabes e não tens como saber.
Por exemplo quando sofres por antecipação e a tua mente te diz "o dia de amanhã vai ser muito difícil". Isto não é uma verdade, não tens como saber o futuro, então porque assumes isto como verdade absoluta e sofres por antecipação?
Ou quando a tua mente te diz "isso não vai dar certo por isso é melhor nem tentares" , isto é apenas uma tentativa de te sabotar, mais uma vez não tens como saber o que vai acontecer mas a verdade é que a maioria das vezes deixamos que a nossa mente nos controle e nos impeça de viver de forma plena.

A nossa mente mente-nos todos os dias (provavelmente por isso é que se chama mente), cabe-nos a nós apanhar-lhe as mentiras e não deixar que se transformem em verdades absolutas para nós.
Inicialmente não é um processo fácil, estamos tão habituados a ouvir a nossa mente que acreditamos plenamente que ela é um reflexo de quem somos. Nada mais falso. Há medida que a vamos contrariando e confrontado vamos percebendo exatamente isso.

Não somos aquilo que pensamos, somos muito mais.

Experimenta!


quinta-feira, 4 de abril de 2019

Isabel Allende - A casa dos espíritos

De que é feita uma família?
Como se mantém unida mesmo quando há mil ideais a separá-la?
O amor vence sempre ou por vezes o ódio assume o comando?

O livro conta-nos a história de uma família ao longo de 4 gerações.
Não é - na minha opinião - daqueles livros que nos prende logo na primeira página e que nos dá vontade de ler sem parar até ao fim mas é um livro bem escrito, com uma boa história, que tem a capacidade de nos fazer rir, chorar e ficar na expectativa de saber o que vem a seguir.
Não é um daqueles livros apaixonantes mas é um daqueles livros que no fim nos deixa uma sensação de contentamento por o termos lido.

"Quanto tempo vive o homem, por fim?
Vive mil anos ou um só?
Vive uma semana ou vários séculos?
Por quanto tempo morre o homem?
Que quer dizer para sempre?" - Pablo Neruda

"Estou tão velho que ao olhar-me ao espelho não me reconheço."

"Fui muito orgulhoso e por causa do meu orgulho sofri mais do que os outros."

"Entrou na minha vida como um anjo distraído que ao passar me roubou a alma."

"O porte de fada e aquela maneira de se mover como se voasse."

"Devo ter morrido um pouco."

"Esvaziei-me por dentro como um balão picado, foi-se-me todo o entusiasmo."

"Sentia o frio trespassar-me os ossos, apertar-me as mãos, entrando-me na alma."

terça-feira, 2 de abril de 2019

Ninguém disse que era fácil...

Já reparaste que descarregas as tuas tensões e frustrações nos teus filhos?
Que quando chegas ao fim do dia e respondes com a tua cara feia ou dois gritos estás apenas a afastá-los de ti?
Que eles são apenas crianças a tentarem crescer num mundo cada vez mais louco e que tu estás cada vez menos disponível para ajudar?
Eles não tem culpa se o dia te correu mal ou se estás cansado, não podes esperar que se comportem como adultos e te dêem espaço quando são apenas crianças e passaram o dia inteiro longe de ti, sabias que também eles enfrentaram desafios durante o seu dia?

"Mas eles não querem comer, nem fazer os trabalhos de casa ou sequer tomar banho e eu só quero 5 minutos de descanso" - dizes tu.
Pois, e eles só querem 5 minutos do ti. Sem gritos, sem stress, sem cansaço, sem ordens.
Se não querem comer talvez de vez em quando possas mudar a ementa, se não querem tomar banho talvez lhes possas ensinar como um banho pode ser bom e relaxante em vez de ser tomado a correr sobre gritos e ameaças e se não querem fazer os trabalhos de casa talvez possas tornar a aprendizagem mais divertida.
Não é porque são eles as crianças que tem de ser eles a cederem sempre e a fazerem o que mandas só porque sim, como se fossem robôs automáticos sem personalidade.
As crianças também tem o direito de sentir, de pensar, de questionar.

Tu e os teus filhos são uma equipa por isso não podes esperar que sejam sempre eles a terem de se adaptar a ti e aos teus dias stressados.
Quando os trouxeste ao mundo assumiste com eles um compromisso do qual agora não te podes demitir, por pior que sejam os teus dias.
Não, ninguém espera que sejas sempre perfeito e que nunca falhes, ninguém acha que vais conseguir chegar aos 18 anos deles sem lhes gritar umas quantas vezes ou a tua mão ir parar algumas vezes ao rabo deles, não é disso que se trata.

Há dias que serão sempre mais difíceis do que outros mas a culpa disso não é dos teus filhos, por isso quando chegares a casa depois de um dia horrível, respira fundo, senta-te no sofá, chama as tuas crianças para perto de ti e fica ali um bocadinho agarrado a elas, sem gritos, sem confusões, sem ordens, sem stress, só amor... conta-lhes que o teu dia foi péssimo e que estás muito cansado e pergunta como foi o deles, ouve as suas respostas, sem pressas e depois juntos, em equipa, estabelece o plano seguinte, talvez hoje não estejam assim tão sujos e possam fugir do banho ou quem sabe eles te surpreendam e queiram tomá-lo por iniciativa própria.
Talvez ao fim de semana em conjunto possam cozinhar refeições para congelarem e terem prontas para os dias mais loucos da semana.

Elaborem juntos um plano para que os dias se tornem mais fáceis, com menos gritos.
Deixa a loucura da tua vida lá fora e aproveita o tanto de amor que tens dentro de casa.
Vais ver que se torna tudo muito mais fácil.


segunda-feira, 1 de abril de 2019

Nora Roberts - Um sonho de esperança - Trilogia do Sonho III

E se a tua vida perfeita não fosse tão perfeita assim?
Se a pessoa que amas se revelasse um interesseiro que só ama o teu dinheiro em vez de te amar a ti?
É possível voltar a acreditar quando nos partiram o coração a um nível tão profundo?

Como já disse quando falei dos outros dois volumes, a trilogia tem como tema central três melhores amigas que fazem tudo umas pelas outras e que estão sempre lá quando é preciso.
Neste livro temos Laura, uma mulher que sempre teve uma vida aparentemente perfeita. Até ao dia em que descobre que o seu casamento é uma farsa, que o marido a trai e que só está interessado no património dela.
A partir daqui Laura terá de definir o que quer na vida, terá de dizer adeus à segurança de um casamento e conquistar a sua independência emocional, claro que contará com as suas duas melhores amigas para isso.

Este é mais um daqueles livros capazes de nos fazer chorar. É um romance do início ao fim, já sabemos que vai terminar bem e até adivinhamos umas quantas partes do livro e mesmo assim ficamos presas à história e sorrimos e choramos com ele.
É uma trilogia que recomendo muito para quem é fã de romances puros. Sem dúvida que os 3 livros são absurdamente fantásticos.

Outros volumes desta trilogia:
Um sonho de amor - Vol I 
Um sonho de vida - Vol II


"É preciso valorizar cada segundo."

"Prefiro o carácter à linhagem."

"Todos temos o lugar certo para nós."

"Os sonhos mudam."

"Há sempre alguma coisa por que viver."

"Não vou armar-me em sonhadora desta vez, nem querer mais do que alguém me pode dar. Quero apenas aproveitar." 

"O amor importa."

sexta-feira, 29 de março de 2019

Não importa!

Porque te importas tanto com o que os outros pensam?
Porque deixas que as opiniões dos outros moldem a forma como vives a tua vida?

Por acaso são eles que calçam os teus sapatos e percorrem os teus caminhos?
São eles que vivem as tuas dores, que sentem as tuas lágrimas, que ficam com a alma apertada quando as coisas te acontecem?
São eles que pagam as tuas contas ou que se levantam todas as manhãs para viver a tua vida?

Porque deixas de fazer o que queres com medo do que os outros vão pensar ou dizer?
Porque te importa tanto o que os outros dizem ou deixam de dizer?
O que importa se eles não acharem bem aquilo que tanto queres fazer ou se decidirem falar coisas parvas sobre a tua vida?

Deixa-me dar-te uma novidade.
Nunca vais agradar toda a gente e no meio de tanto tentares acabas por desagradar a única pessoa que realmente importa, TU!
Não consegues ver as oportunidades que perdes só porque pensas demais na opinião dos outros?
Não consegues perceber que acabas por deixar de ser tu mesma para seres apenas o que os outros esperam que sejas?
Deixa-me dar-te outra novidade, as pessoas vão falar sempre, se não for de ti é da vizinha que tem a coragem de viver sem se importar com a língua alheia e um dia vão-se fartar dessa vizinha e falar da outra e depois da outra e se calhar até de ti, que és tão perfeita que deves ter um segredo sórdido escondido.

Deixa-os lá falar, não te preocupes com o que dizem ou deixam de dizer, preocupa-te contigo, com o que queres, com o que sentes e vai viver, vai fazer tudo o que sempre quiseste.
Pinta o cabelo de azul se te apetecer.

Porque a língua dos outros é isso mesmo dos outros, já a vida, é tua e só tu podes vivê-la de forma a ser feliz.
Faz-te ao mundo que ele está à tua espera!


quinta-feira, 28 de março de 2019

Nora Roberts - Um sonho de vida - A trilogia do sonho II

E se aquilo que dizes ser o teu maior sonho na verdade não o fosse?
Se tivesses tanto medo de ser rejeitada que até para ti mesma é difícil admitir a verdade?

Como já disse quando falei do primeiro volume, a trilogia tem como tema central três melhores amigas que fazem tudo umas pelas outras e que estão sempre lá quando é preciso.
Neste livro é desenvolvida a história de Kate, uma mulher que vive para o trabalho e que julga que o seu maior sonho é provar o seu valor profissional.
Mas será realmente esse o seu maior sonho? Ou será que aquilo que ela mais ambiciona nada tem a ver com provar aos outros que é realmente boa no que faz?

Este é mais um romance ao melhor estilo de Nora Roberts. É um livro de puro mel, cheio de amor e que já sabemos que vai ter um final feliz mas que mesmo assim não conseguimos parar de ler.
É ideal para quem gosta de romances dignos deste nome.

Outros volumes desta trilogia:
Um sonho de amor - Vol I
Um sonho de esperança - Vol III


"Há que ter sonhos. E às vezes os sonhos devem estar para além do seu alcance imediato."

"Cada pormenor é uma peça. Cada peça forma o todo."

"Quando se encontra o que se procura, é preciso tratar bem disso."

"Algumas pessoas quebram, outras desmoronam-se, outras cavam as suas trincheiras."

"A confiança é mais frágil do que o amor."

"Os milagres demoram."

"Tudo nas pessoas que amamos tem importância."

"Muda de direcção se não gostares do destino."

terça-feira, 26 de março de 2019

Não deixes de acreditar...

Não deixes de acreditar que vale a pena, que pode dar certo, que mereces o mundo.
Não deixes de acreditar no teu valor, nos teus sonhos, naquilo que mereces.

Tens todo o direito de estar magoada, ferida, de querer chorar enrolada na cama.
Tens todo o direito de gritar de dor, de maldizer o mundo e de querer estar sozinha.
Mas não deixes de acreditar em ti, não deixes que essa dor te roube os sonhos e a esperança, não deixes que quem te fez mal leve a melhor e te consiga roubar a alma.

Chora, sofre, disseca essa dor.
Mas percebe que o erro não foi teu, que não foste tu que falhaste, que ninguém obriga ninguém a ficar, que às vezes temos de sofrer para deixar partir e esperar que coisas melhores cheguem.
Porque acredita, elas vão chegar.

A dor que sentes hoje vai diminuir até desaparecer, as nuvens que vês hoje vão voltar a dar lugar ao sol, as coisas boas vão voltar a surgir.
Só precisas de continuar a acreditar, em ti, no teu valor, naquilo que mereces, nos teus sonhos e em tudo o que está por vir.

Então chora tudo o que tens que chorar, grita tudo o que tens que gritar, esconde-te no teu canto o tempo que te quiseres esconder e depois respira fundo que o mundo continua a girar lá fora.
Limpa as lágrimas, sacude a poeira, agarra nos teus sonhos e volta a viver.

 Acredita em ti, tu vales a pena!


segunda-feira, 25 de março de 2019

Nora Roberts - Um sonho de amor - Trilogia do Sonho I

E se aparentemente tivesses tudo mas te faltasse o mais importante?
E se de um dia para o outro esse tudo desaparecesse e te visses obrigada a começar do zero?
Se de repente te visses a duvidar de quem és e das tuas capacidades?
É possível começar de novo quando já nem sabemos quem somos ou o que queremos?

A trilogia tem como tema central três melhores amigas que fazem tudo umas pelas outras e que estão sempre lá quando é preciso.
Neste livro em especifico é desenvolvida a história de Margo, uma modelo bem sucedida a que a vida troca as voltas e a quem sempre faltou conquistar o seu maior objetivo, ter o amor da mãe.
Como irá Margo dar a volta por cima?
Uma coisa é certa, as suas duas amigas estarão sempre com ela.

 Sabem o que vos digo? Se não acabarem o livro a chorar são as pessoas mais insensíveis do universo.
O livro é um romance ao melhor estilo. Bem escrito, leve, divertido e muito romântico.
É daqueles que nós já sabemos que vai ter um final feliz mas que mesmo assim queremos ler e ler e ler até chegar ao fim.

Claro que não é o livro mais profundo do mundo, como eu já disse é um romance leve mas muito bem escrito e que nos prende à história.
Espero que os outros dois sejam tão bons como este.

Outros volumes desta trilogia:
Um sonho de vida - Vol II
Um sonho de esperança - Vol III


"A família não é apenas o sangue e os antepassados partilhados. É também lembranças e afecto, lealdades e frustrações."

"Se não permitisse que um homem fosse importante demais na sua vida, não ficaria muito magoada quando o perdesse."  

"Afinal, ele não passa de um homem - [...]. Ou seja, a definição de um idiota."

"Se quiseres sonhar, [...] sonha em grande."

"Só os tolos e egocêntricos é que pensam que ninguém lhes dará a mão."

"O primeiro não significa nada [...]. O último é que conta."

"Cansada de olhar para a mesma vista? Faz as malas e encontra outra."

domingo, 24 de março de 2019

Livros para Venda

Há um desejo que ainda não realizei mas que espero um dia chegar lá, o de ter uma divisão inteira para guardar os meus livros. Uma divisão onde as estantes cheguem ao teto e onde tenha aquelas "escadinhas" como na Bela e o Monstro para subir às prateleiras para escolher os livros que vou ler. Acredito que seja o sonho da maioria das pessoas que gosta de ler.
Para terem uma noção da minha paixão por livros, se tivesse de escolher entre um closet e uma biblioteca, escolhia uma biblioteca.
No entanto como eu disse este desejo ainda não foi realizado e o espaço em minha casa não estica, por isso de vez em quando tenho que fazer uma limpeza por aqui e deixar alguns livros irem morar em casa de outras pessoas que tenham espaço para eles.

Deixo-vos por isso aqui alguns exemplos de livros que tenho para venda, podem ver a lista completa aqui ou carregando diretamente no separador que diz "Livros para venda". Os preços aqui referidos já incluem os portes de envio para Portugal e os livros são enviados em correio registado.
Se tiverem interesse em algum livro podem enviar-me uma mensagem pelo facebook ou um email para email@sonhamasrealiza.pt


Livro - Daisy e o amor sem filtros de Anna Bell - Preço: 11€ (custa 18.79€)
Sinopse:
Uma comédia romântica perfeita sobre o amor na era do píxel.
Daisy Hobson é a típica rapariga citadina que vive online. Conhece todos os filtros do Instagram, é #hashtag-dependente, partilha tudo o que faz e a relação mais duradoura que alguma vez teve foi com o seu telemóvel.
Até que a obsessão pelas redes sociais faz com que seja despedida e publicamente humilhada. Rosie, a irmã de Daisy, encontra a solução perfeita para o problema: uma desintoxicação digital na quinta dela, num lugar remoto no interior de Inglaterra.
Que por acaso está a precisar de obras, pelo que toda a ajuda é bem-vinda. Para Daisy, o detox é o inferno na terra. De que é que serve estar num sítio bonito se não pode partilhar as fotos com os seus 2236 amigos no Facebook? Mas eis que chega a distração perfeita: Alexis, um charmoso francês contratado por Rosie para ajudar nas renovações, e Jack, o vizinho quase eremita, que parece estar sempre no sítio certo para ajudá-la. Depois do escândalo que afastou Daisy da cidade, conseguirá ela habituar-se às relações sem filtros e voltar ao normal?

sexta-feira, 22 de março de 2019

E se...

E se o amanhã não chegar?
Fizeste tudo o que querias fazer?
Disseste tudo o que querias dizer?
As pessoas que amas sabem que as amas?
Serás recordada como sempre quiseste ser ou perdeste-te pelo caminho?
Ainda és a pessoa que querias ser?
Lutaste pelos teus sonhos?
Correste atrás dos teus objetivos?
Deixaste a tua marca no mundo?
As pessoas terão um sorriso quando se lembrarem de ti?
A palavra com que te definirão é a palavra com que te definirias?

Passamos tanto tempo a pensar no amanhã que nos esquecemos do hoje, esquecemo-nos de fazer as coisas que podíamos fazer, de dizer as coisas que podíamos dizer, de abraçar quem podíamos abraçar. Mas e se o amanhã não chegar?

Chega, chega de adiares os teus sonhos.
Chega de calares as palavras que devias dizer só porque andas sempre demasiado ocupada.
Perde 5 minutos do teu tempo e liga para todos os que amas, diz-lhes que gostas deles, que são importantes, que fazem a tua vida mais feliz.
Deixa de adiar aquele café ou aquele jantar com aquela amiga que não vês há tanto tempo, pega no telefone e marca o encontro.
Chega de deixar tudo para depois e de não viveres nada do que devias fazer.

 A tua vida começa hoje, vive-a... porque amanhã nunca se sabe...


quinta-feira, 21 de março de 2019

Lesley Pearse - Nunca me esqueças

E se um erro mudasse toda a nossa vida?
Se um ato irrefletido nos condenasse a deixar para trás tudo o que conhecíamos e dávamos como certo?
Será que somos realmente mais fortes do que aquilo que pensamos?

Mary é condenada à forca por ter roubado um simples chapéu, no entanto pode escolher entre a sentença já decretada ou uma viagem de colonização à Austrália (o que naquele tempo era quase uma condenação à morte).
Apesar de todos os seus medos, Mary sobrevive, uma e outra vez, cai e levanta-se vezes sem conta, conhece o amor e o drama, o sucesso e a falta dele.
Como irá Mary ultrapassar tantos obstáculos?

O livro é inspirado numa história real e é daqueles livros que temos pena que acabe.
Apetece-nos continuar a ler e saber o que vem a seguir.
É sem dúvida um bom livro, com uma história de coragem e sobrevivência, que mostra que por pior que estejam as coisas a força de vontade pode fazer toda a diferença.
Vale a pena ler.


"Enquanto respirar, não perco a esperança."

"Nenhum lugar era bonito aos olhos de um homem de estômago vazio."

"Todos os homens nasceram iguais. Se singram ou soçobram, é uma questão de escolha individual."

"O perdão conquista-se."

"O papel de uma mãe era educar e proteger, louvar e condenar eram simplesmente formas de orientar um filho com vista à sua segurança."

terça-feira, 19 de março de 2019

Fazes-me falta...

Que falta é esta que me fazes e que chega a doer na carne como se fosse uma ferida real?
Que me faz ver o teu rosto em todos os rostos que por mim passam, sentir o teu cheiro em todos os perfumes do mundo, ouvir a tua voz mesmo quando apenas o silêncio me rodeia?
Que falta é esta que me faz pensar em ti mesmo quando tento não pensar em nada?
Que me sufoca a alma, me aperta o peito, me rouba o ar e o sossego?
Que falta é esta que me faz esquecer de quem eu sou apenas para me lembrar de quem tu és?
Que faz o meu corpo desejar o teu abraço como se de um cobertor contra o frio se tratasse?
Que falta é esta que transforma todos os outros em nada só porque eles não são e nunca serão como tu?

Como é possível que estando tão ausente estejas tão presente em mim?
Como é possível que todos os cheiros sejam o teu, todas as vozes sejam a tua mas que nenhum toque, nenhum olhar, nenhum sorriso se compare ao teu?

Fazes-me falta, fazes-me mesmo muita falta...


segunda-feira, 18 de março de 2019

Ken Follett - O homem de São Petersburgo

O que é mais importante, a vingança ou o amor?
Aquilo em que acreditamos ou aquilo que sentimos?
E quando aquilo em que acreditamos de repente já não faz tanto sentido assim?
E se tivermos que escolher entre o que somos e o que talvez pudéssemos ter sido?

Kschessinky é um anarquista com uma missão, acabar com a vida do príncipe Orlof, o que nem ele nem ninguém espera é que o seu passado lhe venha alterar a força do presente.
Será possível um coração que julgávamos morto voltar a bater?

Este livro é tão mas tão bom, é bem escrito e fácil de entender, tem uma excelente história e embora existam algumas - poucas - partes desnecessárias, chega-se a uma altura em que se devoram as palavras e tudo o que queremos é saber o que acontece a seguir, como é que o autor vai dar a volta à situação e como é que as coisas se vão resolver.
É impossível não ficar completamente preso ao livro e além de tudo tem um final fantástico.
Recomendadíssimo.


"Não se pode amar a humanidade
Só se podem amar as pessoas." - Graham Greene

"O amor podia ser selvagem e esfomeado."

"Um homem que não tenha medo pode fazer tudo o que quiser."

"Não desejava nada, já nada o poderia ferir. Amor, orgulho, compaixão, desejo, eram emoções esquecidas."

"Havia perguntas - teriam respostas; haveria problemas - seriam resolvidos; era preciso coragem - ele tinha bastante."

"Não sabia que me iria apaixonar desesperadamente por ti. Pedia apenas que gostássemos um do outro, mas afinal isso foi suficiente para ti mas não para mim. Não pensei que viesse a precisar do teu sorriso, a desejar os teus beijos, a ansiar que venhas ao meu quarto à noite; nunca pensei que ficasse assustado, aterrorizado por te perder."

"Tenho de pôr os meus sentimentos de lado."

"Há em ti qualquer coisa de selvagem e livre como um animal; nunca obedeces a ninguém, fazes apenas o que queres."

sexta-feira, 15 de março de 2019

Manda embora essa tristeza

Pára, pára, pára.
Limpa essas lágrimas, manda embora essa tristeza, esquece essa vontade de desaparecer.
Tens tanto potencial e ainda tantas coisas por fazer, não podes simplesmente desistir.

Eu sei que a vida não é fácil, que tens tido uma sucessão de dias maus e que por mais que tentes parece que nada corre bem.
Mas vá lá, tenta outra vez, um passo de cada vez, uma tentativa de cada vez.
Nem todos os dias serão maus, nem todos os dias as coisas irão falhar.
Vá lá miúda, recupera essa fé e volta a acreditar que os dias bons estão logo ali ao virar da esquina, que só tens que continuar a tentar e que tudo continua a ser possível.

Chega de deixares as lágrimas dominarem os teus dias, de ficares sentada sem tentar novamente, de veres a vida passar sem que faças nada para a mudar.
Levanta-te, volta a apreciar a beleza do sol.
Sai para a rua e volta a sentir o vento na cara.
Escreve os teus planos e começa a realiza-los.

Vá lá, eu sei que és capaz.
Volta a acreditar que as coisas podem dar certo, manda a tristeza embora, recupera o teu sorriso e parte para a luta.
Tens o mundo à tua espera, tens tantas capacidades que ainda nem tu descobriste e mil hipóteses à espera que as faças acontecer.

Chega, chega de tristeza, de desilusão e de desanimo.
Hoje muda tudo outra vez, volta a acreditar em ti , volta a pegar nas armas e a partir para a batalha.
Hoje é o dia em que voltas a assumir o controlo da tua vida.
Vá, vai lá conquistar o mundo!


quinta-feira, 14 de março de 2019

Frédéric Martel - No armário do Vaticano

O tema deste livro é interessante, "a hipocrisia da igreja que publicamente condena os homossexuais mas que no seu interior é dominada por eles" mas confesso que esperava muito mais do livro.
São muitos nomes e muitas personagens - acho que o autor quis tanto mostrar-se credível e mostrar que o que diz tem bases e não são só boatos que damos connosco perdidos entre pessoas que não fazemos ideias de quem são e que nos vão aparecendo aos montes de cada vez. E para complicar ainda mais a leitura, às vezes começamos a página a ler sobre uma pessoa e enquanto o autor espera que ele chegue mete-nos outras 5 pessoas em outras 5 situações a falar sobre a primeira pessoa; é confuso e exige muita atenção na leitura.

Dito isto vamos aos factos do livro, eu terminei este livro a sentir-me uma pessoa muito ingénua, nunca mas nunca me passaria pela cabeça que a taxa de homossexuais fosse tão grande na Igreja e não por serem homossexuais porque isso a mim não me causa nenhuma estranheza, mas por serem "homossexuais praticantes", a quantidade de padres, bispos, cardeais e por ai fora (que o livro lista-nos uma infinidade de categorias que eu também desconhecia) que tem uma vida dupla é assustadora e não estamos a falar de uma relação monogâmica baseada no amor, estamos a falar de toda uma vida de luxuria e loucura.
Há aqui toda uma dualidade de critérios, de personalidades e de pessoas que dizem uma coisa ao mundo e que praticam outra que é assustadora.

E a base do livro é isto, são mais de 600 páginas a falar-nos que o prelado tal é maioritariamente gay, que o bispo tal tem não sei quantos amantes, que o cardeal tal contrata prostitutos e assim vai.
De vez em quando é abordada a pedofilia ou é realmente desenvolvida a história de alguém que se revelou um monstro; na minha opinião, estes são os momentos realmente interessantes do livro  as alturas em que conseguimos compreender como o carácter daquela pessoa realmente influenciou a vida de tantas outras, como destruiu tantas pessoas, como chegou ao poder sem que ninguém o parasse.

Achei o livro muito redutor, como se o autor quisesse explicar todas as acções das pessoas à luz da sua homossexualidade. Por exemplo: o autor supõe que o papa Bento XVI é gay não praticante (é uma das poucas suposições do livro, já que o resto é baseado em provas) e para ele tudo o que papa fez, disse e inclusive a sua queda só é analisada com base nisto, no facto de ser gay, no facto de estar rodeado de gays, no facto de não conseguir acabar com a homossexualidade na igreja.
Ora, o pontificado de Bento XVI tem inúmeras outras facetas que não foram de todo abordadas, este papa tentou trazer transparência ao banco do Vaticano e acabar com a corrupção em vários sectores da cúria, mas nada disto é abordado no livro, só a questão gay. Aliás há sempre um tom muito agressivo com Bento XVI, um tom moderado com João Paulo II e um tom amigável com Francisco. Sendo que João Paulo II foi dos papas que mais apoiou uma série de situações sujas no Vaticano não me parece de todo justo que se reduza Bento XVI à sua pretensa homossexualidade e à sua incapacidade para lidar com ela.

Resumindo: o livro tem umas partes muito interessantes - quando o carácter da pessoa é desenvolvido e nos são dadas a conhecer personagens que são absolutamente monstruosas e foram infinitamente protegidas - e tem um tema interessante que é a homossexualidade na igreja. Mas fala-nos basicamente de padres que nunca incomodaram ninguém por serem gays e isso para mim não faz nenhum sentido. Seria um grande livro se nos falasse das estatísticas da quantidade de padres homossexuais, se nos explicasse (como explicou) o motivo de haver tantos e se depois só pegasse naqueles que de alguma forma influenciaram a historia; os que criaram guerras publicas contra a homossexualidade e os que são verdadeiros monstros mas foram protegidos e isto caberia em 400 páginas (ou menos).
Dito isto quem gostar de explorar os corredores do Vaticano vai gostar de algumas partes deste livro, para quem não gostar não vale de todo a pena.


Fotografia da minha autoria.

"Cada coisa é recebida em função do que realmente queremos ouvir!"

"Somos todos pecadores, mas não somos todos corrompidos."

"Pode alguém dissimular durante muito tempo a sua verdadeira natureza?"

"Falar dos outros é correr o risco de que falem de nós."