quinta-feira, 28 de maio de 2020

Linda Howard - Íntimo e Perigoso

Devemos julgar alguém sem o conhecer?
E devemos confiar em alguém apesar de o julgarmos conhecer?
E quando nos vemos nas mãos de um desconhecido, o que fazer?
A vida muda em segundos e às vezes temos de mudar com ela, porque nem sempre, tudo o que parece, é.

Um excelente livro, bem escrito, o que proporciona uma leitura rápida e agradável, onde muitas vezes reina o humor mas também o inesperado.
O final não é de forma alguma previsível.
É um daqueles livros que dá gosto ler. Totalmente aprovado.


"Não entro na casa de banho dos homens. Costumava pensar que os homens eram humanos, mas entrei numa casa de banho masculina uma vez e quase desmaiei com o choque. Se entrasse noutra, acabaria por sofrer de problemas psicológicos."

"Não tinha qualquer intenção de desistir, apesar de se sentir tão exausto que a desistência seria mais fácil do que passar por aquilo tudo."

"Qualquer situação em que as hormonas se sobrepusessem à capacidade decisória do cérebro seria trágico."

"O amor e a paixão deviam trazer avisos bem visíveis dizendo: cuidado, pode causar estupidez."

"Vagueava como um fantasma à procura da sua alma."

"Nunca antes o sentira, nunca antes o quisera. A melhor forma de salvaguardar as suas emoções fora manter as pessoas à distância, confiando apenas em si própria. Aprendera-o com lições precoces e duras."

"Pare de se massacrar. Não é responsável pelo mundo."

"A vida parecia ter só complicações."

"Se lhe desse sexo, pararia com a ofensiva sobre o seu coração porque pensaria já ter ganho. As emoções permaneceriam a salvo."

"Queria acreditar no «felizes para sempre», num amor que durasse uma vida."

"O sexo era a última coisa em que pensava...antes de adormecer. E a primeira coisa em que pensaria ao acordar."

"Encaixavam como duas peças de um puzzle."

Manteve as pessoas à distância porque sabe que tem um coração de manteiga e a melhor forma de se proteger será não permitindo que se aproximem."

"Um total cansaço da alma."

Sem comentários:

Publicar um comentário